Supergirl | 3×01 – Girl of Steel

Supergirl se destaca entre as adaptações de quadrinhos para a TV por saber representar bem sua personagem principal, e isso tem sido verdade desde a primeira temporada. Mas quando esse fator é a melhor qualidade de uma série, sempre existe o perigo de algum erro no roteiro ou um caminho errado no desenvolvimento da personagem prejudicar a qualidade de toda a produção. No começo do quarto ano, os roteiristas arriscaram um pouco e mostraram uma Kara diferente daquela que estamos acostumados, e esse risco deu certo.

Sem tentar exagerar no drama ou em diálogos melosos, Girl of Steel mostrou muito bem a forma com a qual a Supergirl lidou com a perda de seu namorado. Uma mudança tão drástica de personalidade nunca seria definitiva e ninguém dúvida disso quando percebe que a Kara não é mais a mesma lá no começo do episódio, mas isso funciona como uma ótima forma de fazer a personagem crescer. Os diálogos que a envolveram foram todos interessantes e importantes para mostrar o porquê a versão humana da garota de aço é necessária.

Entre todos os momentos que se encaixam nisso, o maior destaque sem dúvida foi a discussão entre a Supergirl e a Alex. A Kara pela primeira vez tentou ferir a irmã com suas palavras, pela primeira vez não era ela a pessoa sendo positiva e ajudando os outros a lidar com alguma perda, e a melhor parte desta cena foi o tanto que essa conversa pareceu real. Esse foi o melhor momento do episódio porque mostrou de modo incrível como algumas pessoas lidam com a perda daqueles que amam. O roteiro conseguiu fazer com que todos os detalhes irreais do contexto fossem fáceis de ignorar e criou um diálogo muito forte e fácil para o público se identificar.

E falando em bons diálogos, teve um que foi muito mais emotivo, mas por uma boa causa: o momento em que Alex pede para que J’onn a leve até o altar foi uma ótima surpresa no final e mostrou o quanto que esse relacionamento é importante para eles e até mesmo para a série. Mas nem todos os bons momentos do episódio precisam envolver drama ou emoção, e nesse aspecto Lena teve alguns momentos bem interessantes ao longo da trama. A personagem foi muito importante na temporada passada e é bom ver que neste terceiro ano ela deve ter um papel tão ou mais relevante quanto no anterior.

Com relação à ação não houve muita coisa boa: a perseguição ao caminhão não teve nada demais e o confronto com o submarino não teve o peso que o momento precisava. Nem a explosão do míssil que deixou a Supergirl brevemente inconsciente conseguiu deixar toda a sequência mais interessante. Pelo menos a cena final com ela erguendo o submarino foi boa.

Girl of Steel foi um bom prelúdio para a temporada. Introduziu a nova kryptoniana na história e conseguiu mostrar um bom momento de desenvolvimento para a personagem principal. Infelizmente, como a maioria dos prólogos, este episódio foi muito melhor em fazer promessas para este novo ano da série do que em funcionar como uma história fechada. De qualquer forma o saldo final foi muito positivo e faz com que aumente a vontade em ver o que vai acontecer em seguida, especialmente se eles continuarem tirando sarro do Donald Trump da forma como fizeram aqui.