Arrow | 5×19 – Dangerous Liaisons

O hiato em uma série tende a ser algo complicado. Uma pausa grande como a que tivemos entre os dois últimos episódios de Arrow é sempre uma enorme quebra de ritmo, e todos sabemos o quanto a série estava boa antes de parar. Infelizmente a expectativa de algo incrível acabou se chocando com o fato de que os roteiristas preferiram não dar continuidade ao principal enredo da temporada de modo direto, e o que tivemos foi um episódio que, mesmo sendo bom, acabou decepcionando.

Todos sabíamos que a presença da Felicity na Helix ia chegar a um clímax ainda nesta temporada. A nova forma de agir da Overwatch, movida pela sua vingança pessoal contra Prometheus, só poderia acabar se chocando com o que a sua equipe estava fazendo, mas poucos imaginavam um “choque” tão direto. O caminho que a personagem tomou nesta temporada foi algo ótimo e muito necessário. Afastada do melodrama exaustivo do ano anterior, Felicity pôde se desenvolver e lembrar a todos que é uma personagem com enorme potencial, e Dangerous Liaisons fez exatamente isso: mostrou que, apesar de ser um bom alivio cômico, ela pode servir para tramas mais densas e ainda provou que sem ela a equipe não funcionaria tão bem.

O caminho dela na série é algo realmente interessante: ela foi de personagem secundária para o centro das atenções; de alívio cômico para interesse amoroso, para esposa e agora apenas um membro da equipe; mas o que nunca mudou foi o fato de que ela não fica em silêncio quando acha que os outros estão errados (especialmente o Oliver). Mas mesmo essa qualidade sendo algo que existe desde a primeira temporada, ela nunca foi tão direta e tão dura em suas ações contra a equipe, e isso mostra que os roteiristas de fato encontraram um caminho certo para ela durante este quinto ano de Arrow. Seria bom se acertassem assim com o personagem principal.

Tendo dito isso e gostado muito do que fizeram com ela e de como está a dinâmica da equipe, o roteiro do episódio foi um pouco fraco. A tecnologia para encontrar Chase parece fantasiosa até para os padrões da série, alguns dos eventos aconteceram rápido demais e mesmo sabendo que o Oliver como personagem não é escrito de modo consistente, ainda fica difícil acreditar que ele, além de não dar apoio para Felicity, ainda usaria a equipe para tentar impedi-la de fazer algo que ela considera certo. Esses problemas no centro do enredo prejudicaram o episódio e fizeram com que momentos interessantes, como a interação entre Rene e sua filha e as conversas entre Diggle e Lyla, perdessem um pouco do brilho.

Dangerous Liaisons foi um bom episódio, desenvolveu bem a Felicity e contou histórias interessantes de outros personagens, mas não passou nem perto de empolgar tanto quanto o que a série vinha apresentando. Pelo menos o cliffhanger foi ótimo e promete trazer algo grande para o próximo capítulo.