Blindspot | 2×19 – Regard a Mere Mad Rager

Pegando o cliffhanger do episódio anterior – que ocorreu antes do hiato -, Shepherd está em Bangkok terminando de pegar a carga mais importante de Sandstorm, mas ela tem um pequeno probleminha na hora de fazer a transferência do pagamento e acaba numa enrascada muito maior graças à nossa Patterson, que congela as contas bancárias lá no FBI sem fazer ideia do que esteja acontecendo do outro lado do mundo.

A mãe de Jane é presa nas ruas de Bangkok após uma sequência de perseguição e a mesma passa o episódio presa, sendo solta apenas no final quando consegue, por fim, matar o guarda da prisão. Tive pena dele não ter visto o perfil de terrorista internacional dela antes, mas fazer o que, né? Como vimos, a internet ainda aparenta ser discada pelas bandas de lá… E Shepherd finalmente consegue retomar a carga de explosivos e transporte num navio para os Estados Unidos.

Já nos Estados Unidos, Patterson consegue decifrar outra tatuagem da Jane após congelar as contas de sua mãe, como disse anteriormente. A pista os leva a caçar um hacker e depois outro, nos mostrando uma sequência bem clichê daqueles filmes de ação de antigamente. Contudo, eles conseguem o pacote, que não tem nada além de um cubo mágico. Sim, crianças, um cubo mágico. Mas o mesmo está cheio de criptografias escondidas que Patterson vai decifrando bem animada durante o episódio até encontrar dois sites da Dark Web, levando o time mais uma vez à pista de uma organização de hackers que, para testar seus prováveis futuros membros, os joga numas provinhas que lembram muito as de 3%, com a diferença apenas de que Jane e Weller estão ali confessando novamente seus sentimentos um pelo outro.

Tudo termina bem nesse plot dos hackers e os dois pombinhos devem ter conseguido o arquivo que os levará à fase 2 de Sandstorm. O que me chamou a atenção foi que enquanto tudo isso acontecia, Nas foi deixada de lado. Weller até comenta que a mesma preferiu se afastar por conta dos problemas políticos que está enfrentando após escolher ser o bode expiatório.

Um plot que deu certo foi o de colocarem a Tasha no meio do fogo cruzado entre Reade e o trabalho no FBI mais uma vez, já que descobriram que ela roubou a prova do assassinato do padre que abusou do amigo. Ainda acho que ela está fazendo tudo isso por ter sentimentos por ele, mas não shippo pelo simples fato de saber que ela merece alguém de mais relevância dentro do enredo da série.

Bem, pessoal, nesta reta final de temporada as coisas parecem ter melhorado bastante. Ainda sigo com fé de que não vão fazer uma finale ruim e de que ainda vamos ver algo relacionado às memórias do Roman daqui para o episódio de encerramento. Ao contrário do início da temporada, que estava bem chata e sem fazer muito sentido, queria deixar claro meus agradecimentos aos senhores roteiristas de terem melhorado bastante o enredo geral da série.