Supergirl | 2×21 – Resist

Faltando apenas um episódio para o season finale, Supergirl trouxe mais um capítulo fantástico que, além de apresentar um enredo muito interessante, ainda conseguiu explorar bem quase todos os seus personagens. Resist é o resultado de uma temporada inteira muito bem planejada e executada, e é bom ver que toda a expectativa construída para o confronto final não será desperdiçada.

Os melhores episódios são aqueles que conseguem fazer duas coisas ao mesmo tempo: contar uma história interessante e usar dessa história para desenvolver de modo positivo seus personagens, e Resist mostra como isso deve ser feito. Rhea, por exemplo, é a grande vilã deste final, e durante o episódio nós não só vimos o desenvolvimento da história de sua invasão em National City, mas também pudemos observar a personagem em situações diferentes e muito interessantes. Acho que ninguém imaginava que alguém tentando dominar o planeta teria uma conversa/momento de alívio cômico com Cat Grant. Além disso, ainda vimos um pouco mais de suas interações com Mon-El e Lena, e cada vez mais fica claro que a sua maldade não é algo que a Supergirl poderia resolver na base da conversa (ou pelo menos é isso o que vimos até agora).

Os outros membros do elenco regular também foram bem explorados, com a óbvia exceção de J’onn, que estava em coma. Alex, Maggie, Winn e até mesmo o Jimmy foram muito bem utilizados e conseguiram se destacar em certos momentos da trama. Desses quatro, o maior destaque foi a irmã da Kara, que teve que encarar uma série de decisões difíceis para tentar resolver esse enorme problema. Conseguiram balancear bem a liderança nata da personagem com a sua falta de experiência na função de líder oficial, e o resultado foi muito bom.

Por mais que o elenco regular tenha se destacado, foram as participações especiais que roubaram a cena. Lynda Carter reprisou seu papel de presidente dos EUA e finalmente alguém descobriu que ela é uma alienígena. Admito ter ficado um pouco decepcionado ao saber que ela não será uma inimiga, mas ainda há esperança de que os roteiristas nos surpreendam nesse sentido.

Mas o maior destaque de Resist foi Cat Grant. Finalmente a personagem retornou para a série e a impressão que deu é que ela nunca havia saído. Tudo o que a personagem sempre fez aconteceu aqui: alívio cômico eficiente, intuição para identidades secretas (menos a da Kara, óbvio) e discursos motivacionais muito bem escritos. Cat Grant fez muita falta na série e é ótimo poder vê-la de novo, especialmente quando a personagem foi tão bem inserida no meio de tudo o que estava acontecendo.

Esse foi mais um ótimo episódio de Supergirl e, pelo o que parece, o final de temporada promete ainda mais. A não ser que algo muito ruim aconteça no final, o que eu duvido. Esta temporada será lembrada por muito tempo pelos fãs, da mesma forma que a segunda de Arrow.