American Gods | 1×04 – Git Gone

Terminamos o episódio anterior com a aparição de Laura no quarto de hotel onde Shadow está instalado, mas até a esposa morta dele aparecer lá, vemos que as coisas não foram tão simples neste capítulo baseado na personagem. Começamos vendo como era a vida de Laura antes de a mesma conhecer seu marido. Não que algo tenha mudado, além do sexo entre os dois e do fato de dividirem a casa e o sobrenome.

Laura trabalhava num cassino, mas estava bastante depressiva com sua vida de tão boring que era. Para falar a verdade, até o seu trabalho na mesa de 21 foi afetado com a chegada de uma máquina, ou seja, tiraram até este prazer dela. E nem sua tentativa de suicídio dentro da banheira com o inseticida deu certo, é de dar pena mesmo. Até que um malandro chega na mesa de 21 e tenta trapacear a moça que ali está dando as cartas a ele. Shadow não consegue passar a perna nela e os dois começam a se relacionar naquela mesma noite. Conto de fadas realizado para ele, mudança de chatices para ela, já que agora que casaram ela tem de bancar a dona de casa uma vez ou outra.

Ele consegue o emprego na academia de Robbie, fica cada dia mais apaixonado pela esposa e não se importa de viver uma rotina sem mudanças. Ela tenta mudar um pouco as coisas ao pedir para que ambos tentem roubar o cassino onde a mesma trabalha, e até tenta se mostrar ambiciosa por uma vida melhor. Mas como Shadow foi pego, as coisas mudam mais uma vez na vida de Laura, que agora tem que visitar o seu fofinho na prisão. E como logo depois disso sua gata morre, é nos braços do melhor amigo do marido que ela tenta sair um pouco da depressão explícita que vive.

Até que na noite em que Shadow é liberto, Laura tenta terminar seu caso com Robbie dizendo que não pode fazer isso com uma pessoa boa como ele e etc. E assim ela morre, com o pênis de Robbie literalmente na boca. Como vimos no episódio anterior, quem morre vai ao encontro de Anúbis, mas Laura não é uma pessoa comum e já mostra ao deus que nem precisa pesar seu coração, pois ela já sabe das coisas ruins que fez em vida. Contudo, Laura não tem fé e, segundo o deus, estas pessoas ficam vagando na escuridão. Mas ela teme seu destino e diz que se recusa aceitar isso. Neste mesmo momento, Shadow joga a moeda em seu túmulo e a traz de volta a este mundo, e ficamos com a cara igualzinha a de Anúbis: sem entender nada.

Laura também não entende muito bem sua volta, mas sabe que tem que encontrar Shadow de qualquer forma, afinal ele é a única luz que ela vê num mundo agora preto e branco. Mais alguém deu risos com o reencontro de Laura e Audrey? Fora que achei o braço arrancado após a luta contra os minions do Menino Técnico hilário como peça de cena, sendo carregado para lá e para cá até o ponto em que Laura reencontra-se com Anúbis (em forma de cão, a princípio) e o Sr. Íbis, que a tratam bem e costuram o braço devidamente como se deve.

Ainda neste reencontro vemos Anúbis questionar o motivo de Laura ter voltado: “- Foi por amor?“. “– Não, mas agora é“. Durante o episódio inteiro vemos claramente que ela não ama o marido reciprocamente, mas o tem como motivo de escape de sua realidade chata – e depois da prisão dele, Robbie assume este posto. Porém, Laura também não entende o motivo de ter voltado, e como vê luz apenas em Shadow, talvez confunda isso mais uma vez com amor ou uma dependência nova dela mesma. Confesso que gostei bastante da atriz e que um episódio inteiro focado nela não foi tão chato quanto eu pensei que seria, até por mostrar um pouco do passado de Shadow e que alguns deuses estão envolvidos em seu plot pessoal.

Outro fator bastante interessante é sobre a morte, que no caso de Laura não seguiu os conformes e nos deixou curiosos sobre o assunto dentro do universo da série e de Gaiman. Agora nos resta esperar mais uma vez para vermos como será esse reencontro entre a ex-morta e o ex-prisioneiro e o que vai rolar com Mad Sweeney depois de descobrir que o caixão de Laura está vazio e sem sua moeda da sorte também.