DC’s Legends of Tomorrow | 3×03 – Zari

Em seu terceiro episódio, DC’s Legends of Tomorrow deixou um pouco a piada de lado para focar mais em sua trama principal. É claro que não faltaram as tiradas cômicas, pois tivemos apenas dois personagens representando-as, porém o que estamos acostumado a ver na série é aquela bagunça organizada de diversos clichês acima do nível esperado quando o assunto é comédia. Só que dessa vez deixou a desejar.

A melhor parte, claramente a mais interessante do episódio, foi Nate alucinando porque havia bebido uma solução com Lyoga Root, originária de Zambesi, para tentar ajudar Amaya a controlar o seu totem que algumas vezes saia do controle. Em diversos momentos o personagem, que estava fora de si, rendeu piadas e situações muito engraçadas, tendo a cara da série.

Mas o foco era apresentar ao telespectador a nova integrante da Waverider, Zari. Ela, assim como Amaya, também possui um totem. Durante todo o episódio, foram explicando que os totem tinham uma ligação e as duas precisavam descobrir isso juntas. Para quem assistiu a animação Vixen, que é transmitida pela CW Seed, isso ficou um pouco confuso. No desenho, é mostrado cinco totens: quatro dos elementos naturais e um do reino animal. O apresentado por Zari neste episódio é totalmente diferente e, mesmo assim, é dito que há uma ligação entre eles só por ser um totem. O jeito é esperar para que algo seja dito daqui pra frente.

E como toda lenda que entrou na Waverider, com Zari não poderia ser diferente: ela está fazendo algo “errado” para depois se redimir e entrar nesta viagem através do tempo e espaço. A personagem é boa, carismática, mas não dá para ver se ela tem um futuro na série. Porém, a interação de Mick com a mesma foi ótima em todos os momentos. É essa interação que precisamos para podermos nos apegar à personagem agora, até ela conseguir andar sozinha.

O que incomoda ainda nesses episódios é parecer que falta uma trama central, mesmo eles começando a costurar o que pode ocorrer. Falta ainda algo a mais que nos faça ter vontade de acompanhar a série daqui em diante, além de só piadas. E todos os heróis da nave, com exceção da Amaya, parecem não ter propósito algum ou qualquer vontade de estar ali. Onda Térmica, Eléktron, Nuclear, Cidadão Gládio e até a Canário Branco, que sempre foi a mais desenvolvida, parecem estar a bordo só por estarem e não terem outra coisa para fazer.

Já oposto aos outros heróis, Amaya é o destaque. Essa temporada é dela. Por mais que já até tenha sido resolvida toda a trama de como controlar o seu totem, quando ela fala com um de seus antepassados é lindo, motivador e de extrema importância para a personagem descobrir como resolver o problema que estava tendo. Ela só cresce desde o primeiro dia que entrou na série.

Além disso, DC’s Legends of Tomorrow deu dois furos na história. O primeiro é Ray, que na animação Vixen ele conhece Kuasa, mas no episódio parecia que nunca a tinha visto. E como as séries se passam no mesmo universo, ele deveria ter reconhecido. E também foi mencionado que a lei de 2021 contra meta-humanos ainda existe em 2042, ano no qual as Lendas visitam… Mas sabemos que no futuro, mais precisamente em 2024, o Flash está atuando normalmente. São pequenos detalhes, mas para quem acompanha tudo do universo é fácil ficar desanimado quando certos cuidados não são tomados na hora de construir uma história.

Zari é um episódio bem qualquer coisa desta terceira temporada, ainda mais depois dos dois primeiros, que foram divertidos de assistir. Os roteiristas precisam urgentemente começar a contar a trama principal da temporada e não mostrar só uma vilã que aparece do nada atacando as pessoas.