iZombie | 3×11 – Conspiracy Weary

Dando continuidade ao cliffhanger anterior, vimos que a confusão realizada pelos zombies haters foi bem grande quando Liv e Blaine invadem o local onde os mesmos estão transmitindo a tortura ao vivo de Donnie. Graças aos roteiristas lindos, Ravi não foi machucado e ainda tivemos a surpresa de ver mais uma intervenção dos soldados da FG Enterprises (agora sob novo comando). Os militares da FG descobriram o local após um infiltrado entrar no ao vivo e eles hackearem a transmissão e, no meio disso tudo, ainda tivemos que ver Rachel e Harley fugirem. Ela depois volta a procurar Ravi para pedir desculpas e saber mais sobre o que realmente aconteceu, mas só no final do episódio vemos que na verdade ela é uma jornalista atrás de uma história – e que realmente publica com todo o material que tem sobre a existência dos zumbis, deixando-nos com a seguinte pergunta no ar: este é o início do Dia D?

Sobre Harley, bem, Clive e Liv aceitam uma dica do novo líder da FG e investigam o caso da balística para tentar encontrá-lo. Os militares até seguem uma pista falsa que os leva a um campo minado de onde Major e Justin só conseguem sair depois de uma pista dada por Liv, que está sob a influência de um cérebro de um dos melhores amigos de Harley, e não apenas ela, Blaine e Don também compartilham das visões, o que foi bastante interessante de vermos pela primeira vez. Explorem mais a capacidade das criaturas, senhores roteiristas, agradeço.

Logo no final do episódio, Liv e Clive descobrem o esconderijo de Harley e, ao encontrarem, vemos mais duas grandes revelações no enredo da temporada: a primeira é que os zombies haters não foram responsáveis pela morte da família do pequeno Wally, eles estavam do lado de fora da casa e fugiram ao ouvir os tiros. A segunda é o que eu mais estava esperando para o fim de um personagem como este: ao atacar Clive, Harley acaba morrendo e se tornando assim um zumbi. Tem como agradecer novamente aos roteiristas? Tem, sim senhor! Obrigada!

Ainda tivemos outros plot twists bem interessantes, como, por exemplo, a nova namorada de Major realmente não ser quem ela diz ser e o fato de colocar uma Liv paranoica, graças ao novo cérebro, para ajudar o ex-noivo a se livrar desta foi ótimo! Nossa legista consegue mostrar a Major que tudo sobre este novo relacionamento dele é postado online e, ao confrontar a mulher, ela ainda tem a cara de pau de dizer que é para que as pessoas tirem da cabeça a ideia de que ele é um serial killer? Por favor, né?! Mas a carinha de cachorro triste do Major deu uma pena enorme, apesar de já sabermos que essa “fã” era roubada desde o início.

Os instintos paranoicos de Liv também ajudaram Peyton neste episódio. A advogada encontrou uma chave na carteira da vítima e foi atrás da filha de James Weckler, aquela garotinha que é um zumbi. E ao irem até o banco para ver o que o pai lhe deixou, Peyton encontra um cartão de memória com o vídeo que a dominatrix gravou da sua última sessão com James. No vídeo, vemos que realmente ele a matou por acidente, mas que assim que o faz ele liga para alguém, e é nesta hora que nossa Liv paranoica interfere, criando assim uma teoria que se estende até o atual prefeito de Seattle: Floyd Baracus – que também era cliente da dominatrix. As duas amigas ainda desvendam que o prefeito é do mesmo tipinho de Blaine: zumbi que faz tudo para se dar bem. Aonde isso tudo vai dar ainda não sabemos, mas ele vai ter que responder pelos seus atos, segundo a própria Peyton.