Fora de Cena | Tommy

Os amantes de rock provavelmente já conhecem a banda britânica The Who, a maneira particular que costumavam tratar os instrumentos musicais durante o show e seus álbuns que, por mais de uma vez, transformaram-se em filmes, ou melhor dizendo, em óperas rock. O álbum “Tommy” é o quarto de estúdio da banda e foi lançado em 1969. Em 1975, foi feita esta adaptação cinematográfica dirigida por Ken Russell.

A história gira em torno de Tommy, um menino que aos sete anos sofre um trauma muito forte e acaba ficando cego, surdo e mudo. Seu pais, ou melhor dizendo, sua mãe e seu padrasto, são os culpados pela situação do garoto e ao longo do filme buscam soluções, muitas vezes nada ortodoxas, para curar o filho. Por conta disso, Tommy acaba passando por maus bocados e as sequências que o longa utiliza para transmitir os sentimentos daquele jovem fazem parecer que estamos nós mesmos dentro de sua mente. Em um determinado momento de sua vida, Tommy sai sozinho de casa e se perde em um ferro velho, e lá tem a maior revelação de sua vida: o pinball. Ele se torna então um dos melhores jogadores, faz fortuna e derrota o campeão, conquistando milhares de fãs.

O filme conta com a participação dos próprios integrantes da banda, sendo Tommy interpretado pelo vocalista Roger Daltrey. Além disso, contamos com atuação da bela Ann-Margret no papel da mãe de Tommy, Tina Turner como a Acid Queen (Rainha do Ácido), Elton John como o campeão de pinball e, como se não bastasse, o filme conta ainda com Eric Clapton, Jack Nicholson e Arthur Brown. A maior parte das músicas foram compostas pelo guitarrista da banda, Pete Townshend, e embora em alguns momentos pareça que estamos assistindo um compilado de clipes musicais, o filme possui uma maneira caricata e singular de retratar sua história, algo que realmente só poderia ter sido originado da mistura certa entre loucura e ácido.

Em um certo ponto, o longa toma um rumo completamente diferente e Tommy passa de campeão de pinball a messias fonte de esperança, uma vez que se cura de todos os males. Tommy passa por um esclarecimento espiritual e decide passar sua experiência para as pessoas. É claro que as coisas começam a dar errado quando fanatismo e ganância se misturam e toda a ideia de plenitude que ele defendia é engolida pela raiva das pessoas que queriam ser como ele e jamais conseguiriam. É possível encarar esse fato como uma crítica da banda à religião e ao fanatismo, embora jamais possamos afirmar com certeza quais eram a intenções desses jovens na época. Essa é uma possível interpretação que está de acordo com a música de fechamento do filme, “Listening To You“, uma possível referência a Deus ou Jesus.

Tommy influenciou muitos compositores, inclusive Andrew Lloyd Webber, um dos criadores do musical Jesus Cristo Superstar. Alem do longa, o The Who lançou, em 1973, outra ópera rock intitulada Quadrophenia, que trata dos transtornos de personalidade de um jovem na década de 1960. Não deixe de conferir os álbuns e filmes desta banda incrível que até hoje agita o cenário do rock.