Scandal | 7×04 – Lost Girls

O quarto episódio da sétima temporada de Scandal nos deixa com uma dúvida e uma realização. A dúvida é: por que Olitz é um casal tão popular nos Estados Unidos? E a constatação é que, pelo visto, Shonda e companhia querem esse endgame em sua série. Mas, apesar disso, o seriado ainda consegue entregar bons episódios devido aos seus intensos personagens.

Lost Girls começa com um perdido Fitz na porta de Liv presenciando sua ex se pegando com o jornalista dos primeiros episódios. Fitz entrega um caso que ele e Marcus começaram a trabalhar, solicitando a ajuda de Olivia. Depois de olhares tensos e um pedido bem claro de Liv para que o ex-presidente fique longe, ela leva o caso de várias meninas negras perdidas para Jake, e Marcus também leva o mesmo caso para a antiga OPA, agora batizada de QPA. Jake alerta Olivia dizendo que o caso merece a atenção da Chefe do Gabinete justamente porque agora ela comanda a organização secreta que mantém a republica dos Estados Unidos em pé.

O que Liv ainda não sabe é que Fitz está trabalhando com Rowan Pope, o famoso antigo chefe da B613 que quer ver sua filha longe de todo esse poder de novo. Tudo isso acontece perto do tratado dos Estados Unidos com o Oriente Médio ser fechado e é interessante ver Mellie lidando com a presidência longe das manipulações de Olivia, mesmo que elas sejam a melhor dinâmica da série. Por quê? Porque Mellie precisa de um plot só dela, ainda que isso signifique romance, já que todos querem ver mais de Bellamy Young.

Um dos melhores momentos do episódio é a volta de Liv ao seu antigo escritório, ajudando seus antigos pupilos a resolverem o caso das garotas desaparecidas. Depois de uma conversa séria com Marcus sobre voltar às raízes, Liv fica tentada e retorna ao seu antigo local de trabalho, encontrando Fitz de novo antes de ir embora apenas para a audiência não esquecer do endgame da série, como falamos no começo.

Mas apesar do desnecessário casal ter voltado, os escritores de Shonda fizeram o que fazem de melhor na série: chamar a atenção para assuntos como racismo e machismo no caso das meninas negras e latinas desaparecidas, mostrando a nova presidente dos Estados Unidos sofrer por apenas ser uma mulher em situação de poder. Isso está sendo sutilmente inserido no plot de uma maneira bem feita, o que mostra mais ainda como a química entre Young e Kerry Washington talvez seja a melhor do seriado. Elas sempre representam a calmaria e a tempestade. Mesmo que Liv enrole sua presidente às vezes, ela está sempre lá para controlar o temperamento de Mellie, que é famoso.

Ao longo do episódio ainda vemos como Liv e Mellie estão perdidas e precisam de conselho quando a dona de Washington procura seu pai para fingir que está jogando conversa fora. Os dois começam a brigar sobre Fitz e a presidente procura Cyrus para ter um pouco de diversão enquanto os dois conversam sobre as mazelas de ser líder de um país tão tenso e Mellie confessa estar apaixonada. O protagonismo das personagens fica mais evidente quando vemos que apesar de Olivia ser poderosa e proteger Mellie, ambas estão sendo manipuladas por todos os lados.

A conclusão é que em meio a um episódio que dividiu opiniões, Scandal mostrou bem as angústias dessas mulheres e que mesmo a série sendo sobre Olivia Pope, existe espaço para mais uma protagonista. As cenas onde Liv e Mellie estão juntas no Salão Oval decidindo o futuro do mundo e falando sobre sentimentos ao mesmo tempo é a prova disso.

O que se espera desta temporada é que após este episódio a trama se desenrole mais, já que o final foi maravilhoso. Pena que teremos que aguentar Olitz por mais algum tempo e o espectador terá que arranjar um jeito de ignorar o casal, o que não é difícil em uma série com personagens interessantes como Mellie, Huck, Quinn, Abby e até mesmo Jake. Resta saber se os escritores vão lembrar de torná-los interessantes de novo… Porque tirando Mellie, todos estão sem uma história substancial.