Blindspot | 3×02 – Enemy Bag of Tricks

Blindspot está conseguindo se redimir bem depois de tantos erros na temporada anterior e este foi mais um episódio bom nesta volta recente. Começamos o desvendar das tatuagens por uma dica que Kurt dá à equipe (claro que ele não conta que foi coagido por Roman a seguir esta pista) e, apesar de achar muito suspeito, Reade autoriza a busca dos onze dedos de uma estátua tatuada no peito esquerdo de Jane. Na verdade, são rios de Nova York e, se cruzados, levam a um ponto fixo das tatuagens antigas – tirando assim qualquer dúvida que restasse sobre a interação dos desenhos.

A equipe de Reade vai até o local onde um satélite cai e tem sua caixa preta roubada por um grupo de mercenários liderados por um ex-parceiro de Jane. Tudo nos leva ao plot de que os Estados Unidos possui defesas e armas nucleares para ataques de mísseis sim, e trazem a rixa com a Coreia para a série de maneira bem óbvia, deixando o FBI e a CIA aterrorizados de que atirem contra o estado da Califórnia inteiro só para provar que são melhores. O detalhe é que a única defesa dos norte-americanos é justamente o satélite que caiu no início do episódio e nem a empresa responsável por satélites de defesa armados nota que foram hackeados até a intervenção de Jane e cia.

O plot não teve nada de relevante até a solução do local onde a traíra líder da empresa foi entregar a caixa preta aos coreanos, já que o FBI tinha consegui recuperá-la antes com os mercenários encontrados por conta do vício de hambúrguer de um deles (fiquei preocupada com isso, de verdade, após o episódio). No mais, temos que voltar a falar da equipe: Jane pedindo para que Weller entenda que ela agora é vegana, que escondeu dinheiro de missões antigas para caso algo dê errado na volta deles para o FBI e, claro, o fato de que ela sumiu e fez coisas feias, como se aliar à terroristas e atirar em pessoas durante este tempo. E Kurt, agora culpado por estar tendo que obedecer a Roman, não liga para nada do que Jane fez… Até agora, pelo menos. Esperamos que o nosso casal não enfrente os dilemas de todo casal espião que mora sob o mesmo teto, não é mesmo? Já deu de drama com esses dois, deixem só a treta do Roman para o final da temporada.

Outro casal que ainda estão insistindo em voltar é Reade e Tasha. Ela não anda curtindo nada o fato de ele agora ser o chefe da operação Jane Doe e estar tentando bancar um papel que, sabemos todos, não lhe pertence. E para tentar quebrar o gelo, ela vai até a casa dele oferecer uma cerveja, mas acaba dando de cara com a nova namorada de Reade. Alguém diz para os roteiristas matarem logo ele e deixar a Tasha em paz? Obrigada, de nada.

Sinceramente, até o novo estagiário Stuart cativou mais que o novo chefão do FBI, isso em apenas dois episódios! Tudo bem que ele estava ali de alívio cômico para o núcleo da Patterson, mas fiquei mal com o cliffhanger deste episódio. Deu mais interesse que o Reade ter uma namorada agora. Sinceramente, senhores roteiristas…