Supergirl | 3×13 – Both Sides Now

Both Sides Now tinha uma tarefa difícil a cumprir, que era ser o último episódio antes de um longo hiato e, portanto, deveria trazer elementos novos e promessas para o que vem depois, tudo pensando em gerar interesse no resto da temporada. Infelizmente isso não deu tão certo.

Analisando com calma, o episódio teve como único problema: a irmã da Supergirl. Mas, infelizmente, a Alex, mais especificamente a forma como ela agiu ao longo da trama, foi um ponto central do roteiro. Nenhuma das dificuldades enfrentadas teria acontecido se ela tivesse agido de modo mais calmo e profissional no primeiro encontro com a nova Worldkiller, e isso é um problema grande porque a Alex que vimos aqui é muito diferente daquela que conhecemos. A personagem agiu de um modo que não deveria e a explicação para isso não fez nenhum sentido. A impressão que dá é que os roteiristas sabiam o que queriam fazer, mas não sabiam como colocar tudo em prática, e então a Alex foi usada como desculpa de última hora.

Colocar a culpa dos erros dela no sofrimento causado pela separação com a Maggie só faria sentido tanto tempo depois se tivéssemos visto algum tipo de progressão, se isso tivesse sido citado mais vezes ao longo dos episódios ou então, melhor ainda, a Alex estivesse apresentando problemas constantes desde que o término aconteceu. Não faz sentido ignorarem os efeitos negativos da separação por vários episódios e depois jogar isso na cara do público como desculpa para desenvolver o enredo. Isso é preguiçoso e também descaracteriza um pouco a personagem.

Se ignorarmos esse problema o que temos em nossas mãos é um episódio muito bom, com reviravoltas, combates e um bom desenvolvimento dos personagens secundários. Tudo isso junto formaria um capítulo na média alta de qualidade da temporada se não fosse o fato, já citado, de que Both Sides Now antecede um longo hiato. Não houve nenhum cliffhanger grande o bastante para fazer com que o público “precise” saber o que acontece depois.

O fato de que Mon-El ainda tem sentimentos pela Kara não é surpreendente, mesmo tendo sido mostrado de uma forma interessante, e todos já sabiam que a Purity iria se unir à Reign, então o fato de que as vilãs estão juntas agora também não oferece nada novo. O que fica de mais promissor é o segredo que a Imra tem para contar ao Mon-El sobre o real significado da missão deles e a Lena tentando descobrir o que está acontecendo com a Sam. E nesse segundo caso nós já sabemos o problema, e a única coisa que interessa vai ser a reação dos outros personagens a essa descoberta.

Até este momento o ponto central da temporada é a Reign e seu grupo de Worldkillers, e nada de novo foi prometido a respeito disso. Não aconteceu nada que aumentasse o interesse naquilo que está por vir, e essa não é uma boa situação para uma série que vai ficar dois meses fora do ar.

Both Sides Now foi um episódio bom, que teria funcionado muito melhor se não fosse aquele responsável a encerrar uma parte da temporada. Com alguns problemas no roteiro e com a falta de uma grande promessa no final, Supergirl entra em hiato tendo apenas sua qualidade até aqui como motivo para que o público volte em abril. Pode não ser pouca coisa, mas poderia, e deveria, ter sido mais.