Scandal | 7×12 – Allow Me to Reintroduce Myself

O crossover mais esperado de Shondaland está entre nós, e pode comemorar porque nossa Olivia Pope está salva por Annalise Keating… Pelo menos até o próximo episódio do novelão de Shonda. Vem saber tudo o que rolou neste choque de monstro e torcer para a redenção de Liv ser verdadeira!

O episódio começa mostrando que Liv decidiu seguir carreira como professora em Washington. Logo de cara, nós vemos que Annalise está assistindo uma de suas aulas e a advogada pede a ajuda de Olivia em um caso contra o sistema de justiça americano. O crossover pode ter incomodado em alguns pontos, mas não dá para deixar passar o fato de que Shonda juntou duas de suas protagonistas mais poderosas, negras, e as colocou por 90 minutos jogando na cara de todo mundo que os Estados Unidos é sim um lugar muito racista. O caso é para ajudar, entre outros, o pai de Nate (ex-namorado de Keating) a deixar a cadeia, já que o mesmo cumpre pena sem precisar, uma vez que tem problemas psicológicos. Assim, a advogada levanta sua voz em prol de todos os negros e latinos que são tratados como escória pelo sistema judiciário.

Enquanto Pope e Keating vão se conhecendo e se estranhando, nossa ex-dona de Washington pede a ajuda de Marcus. Com jeitinho, ele convence Fitz a entrar na jogada com a fundação que ambos coordenam agora e todo mundo fica em alerta, achando que Olivia só quer voltar ao poder. O que ninguém admite é que tanto a moradora mais poderosa da Casa Branca quanto Quinn e Abby sentem muito a falta da amiga, e as coisas se complicam quando Annalise se apresenta no Salão Oval para Mellie. Mesmo assim, a presidente nega momentaneamente seu apoio, ressentida com sua antiga chefe do gabinete, e o ponto mais fraco do episódio foi os escritores nos mostrarem uma Mellie que ninguém sente falta. Com a negativa da presidente, Olivia parte para o ataque do jeito que só ela sabe fazer: usando a imprensa a seu favor e sem machucar ninguém no processo.

As investidas da poderosa deixam todos em choque, e como ela e Keating precisam do apoio de todos os juízes para que o caso seja ouvido na imponente Casa da Justiça em Washington, Quinn e seus associados começam a procurar podres a mando de Jake e Mellie. É nesse joguinho de gato e rato, com Marcus e Michaela investigando de um lado e Huck e companhia de outro, que as poderosas novamente trocam farpas e Keating começa a ficar bem mais desacreditada do que já estava no começo.

Após Olivia demonstrar desesperança, acontece a segunda coisa desnecessária do episódio: Fitz é quem chega nela e dá aquele famoso discurso que anima o mocinho para que sua ex volte às boas com seus métodos e comece a atacar quem a está atacando. A gente perdoa tudo isso porque o episódio estava precisando dessa reviravolta e mesmo depois dos jornais mostrarem que Liv foi mandada embora da Casa Branca, ela não se abala e apela para Quinn, que ainda está com raiva de sua antiga chefe, mas acaba cedendo e fazendo a coisa certa depois de mais uma conversa espirituosa com Liv.

No fim das contas, as protagonistas conseguem a liminar para que o caso de Nate seja ouvido pelos juízes. Em How to Get Away with Murder, o momento da vida de Annalise está prestes a acontecer na corte mais sonhada pelos advogados norte-americanos. Ainda temos tempo de ver Liv conhecendo os pais de Keating e Michaela trair Asher com Marcus, além de uma cena maravilhosa entre Viola Davis e Kerry Washington na qual Annalise acha que precisa de álcool para enfrentar os poderosos da justiça e Olivia consegue convencê-la do contrário.

Para resumir, depois de tomar muita pancada da corte, a antiga professora consegue dar a volta por cima e o trabalho de Olivia acaba quando elas têm certeza de que conseguiram fazer a diferença, deixando os fãs mais fiéis com gostinho de quero mais e uma mensagem poderosa sobre racismo e xenofobia pairando sobre nossas cabeças.

LoGGado

Notícias, Críticas, Reviews e Podcasts descontraídos sobre o mundo das séries, filmes, cinema, TV, música e entretenimento!!