The Flash | 3×22 – Infantino Street

E finalmente, o momento mais esperado de toda esta temporada chega ao seu ápice. The Flash, em seu terceiro ano, teve como objetivo principal salvar Iris de um terrível destino. E esse foi o foco de toda a história que se passou até então. O começo de Infantino Street não poderia ser mais dramático, contando o tempo que faltava até a morte da amada de Barry Allen e por todo o seu desenrolar. O tempo ia se reduzindo e mostrando ao telespectador quanto faltava para a chegada de tal “evento”.

Seria prepotência minha dizer que o episódio foi ruim, pois ele não foi. Mas como tudo tem um mas, a parte da busca da energia para a Bazuca da Força de Aceleração, que contava com Barry e Snart, destoava muito da parte dramática que focava em uma possível despedida à Iris. Como dito anteriormente, não foi ruim…. Longe de ter sido. Mas não encaixava ali com tudo que acontecia.

Em Arrow, no episódio Eleven-Fifty-Nine (4×18), aquele em que Laurel foi se despedindo o tempo inteiro, por pior que tenha sido matarem uma das protagonistas de todo o arco do Arqueiro Verde, tudo ali fez sentido e se encaixava com o momento em que se passava da trama até sua finalização. Já em The Flash, por mais que gostemos de ver o Capitão Frio de volta às telinhas, a parte em que ele e Barry tramavam e executavam toda sua missão para conseguir a fonte de energia não casava com o episódio apresentado.

Outras tramas também se passavam enquanto todo o drama de Iris se desenrolava. Nevasca e Vibro foram finalmente para seu embate que era tão esperado e H.R. se questionando qual era sua verdadeira função na equipe, pois, por mais que parecesse, não se sentia útil ali. Sentimos o cheiro de twist chegando.

Já disse inúmeras vezes nessas reviews que Iris é um dos melhores personagens em The Flash, e este episódio só mostra mais isso. Ela afeta todos os que estão a sua volta. O Flash, pelo menos nesta versão, não é independente e não será. Ele tem o amor da sua vida ao seu lado, sua família com Joe e Wally e amigos como Caitlin e Cisco. Ele sempre vai precisar de sua base para ser um herói cada vez melhor. Não adianta o público querer que ele se torne independente como Oliver Queen é, porque isso está longe de acontecer.

Voltando à Iris, tivemos momentos tristes, porém tão bonitos, que nem parece que essa terceira temporada de The Flash foi toda ruim. Aliás, a única coisa que souberam fazer durante este ano foi o casal West-Allen e mostrar o peso que um tem sobre o outro, inclusive para Barry.

A cena de dança entre Joe e Iris, Wally se desculpando com Barry por não ter conseguido proteger a irmã e a cena final em que Savitar finalmente a mata, foram todas emocionantes. Destacando a última cena com uma trilha sonora muito bem encaixada, enquanto rolava o vídeo de Iris “se casando” com Barry e o Velocista Escarlate tentando salvá-la. Tudo foi muito bem feito e representativo para o casal que tanto se ama chegar ao seu desfecho horrível.

Semana que vem teremos a season finale e o fechamento de todo esse arco que parece um pouco previsível sobre o que vai acontecer, assim como foi toda a temporada. #SaveIris