The Flash | 3×17 – Duet

Esqueça a depressão e a chatice de Barry Allen, porque chegou a hora de cantar e dançar!! Ainda dá para se lembrar de quando Grant Gustin foi escalado para viver o Flash nas telinhas, muita gente se recordou de sua breve participação em Glee. Um tempo depois, Melissa Benoist foi escalada para viver Supergirl também em uma série, e todos os fãs de Glee, que já estavam ficando órfãos com o fim da produção de Ryan Murphy, pediam por algo musical nas séries dos heróis.

No fim do ano passado foi confirmado que teríamos sim um crossover musical, estrelado por ninguém menos que os personagens de Grant e Melissa. E finalmente depois de tanto tempo, eis o nosso episódio-crossover-musical que há muito esperávamos e que não poderia ter vindo em melhor hora. Não da para negar que Grant e Melissa possuem um carisma além do normal e a dupla funciona de um jeito que praticamente ninguém no elenco das duas séries funciona. Eles dois são do tipo que você consegue shippar até com uma porta e ainda torce para dar certo.

The Flash tem passado por momentos difíceis nesta temporada com a repetição da trama de um velocista mais rápido que o Barry, a enrolação da história e aquele sentimento de carregar o mundo nas costas que o personagem sempre teve e que o afetava nitidamente, deixando-o cada vez mais chato e sem sentido. Como já disse em reviews passadas, Barry é o ar de esperança entre esses heróis e sempre foi, mas nesta temporada ele perdeu isso… E faz muita falta.

Com o episódio musical, que quebra literalmente no meio a história sombria e realista, tudo deu um ar de frescor à série e nos fez lembrar o jeito que Barry era no começo. Um jovem feliz, com vontade de lutar e que não perdia as esperanças para a primeira dificuldade que tinha. Soa repetitivo lembrar que a esperança do Barry era tão presente e agora não existe mais, mas sempre foi o que mais gostava no Velocista Escarlate, e isso se perdeu.

A história não poderia ser a mais simples possível: Music Meister (Darren Criss) coloca Supergirl e Flash num coma no qual eles vivem em um musical e só podem sair caso sigam o roteiro. Nunca achei que poderia falar isso alguma vez, mas Darren foi ótimo no papel. Ele fez um “vilão” que é cretino. Tem umas motivações bem questionáveis que você concorda, mas ao mesmo tempo discorda. Ele foi caricato, divertido e no ponto certo. Mesmo com uma história simples, foi gostoso acompanhar e ver Kara fazer mil referências ao Mágico de OZ, seu filme favorito. E os super-heróis verem seus amados com outras pessoas, tendo que superar isso para o amor salvar tudo no final, é bem clichê, mas não deixa de ser lindo.

O destaque deste crossover musical é de fato as músicas originais. “Super Friend“, composta por Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend) e cantada por Melissa e Grant, é uma música divertida que não se leva a sério e tira sarro dos próprios heróis que a cantam. “Running Home To You“, feita por Benj Pasek e Justin Paul (La La Land – Cantando Estações) e cantada só por Grant, é uma das cenas mais bonitas de todas as temporadas de The Flash. É o momento em que ele, mesmo já tendo demonstrado isso outras vezes, expõe seu amor por Iris e afirma que West-Allen é o melhor casal das séries da DC na CW.

Melissa também teve um solo, mas ficou por conta de uma música já cantada por Audrey Hepburn, “Moon River“. Ela apresentou uma forma nova de cantar ao invés de só voz e violão, e ficou lindo para ser a abertura de todo o episódio. “Put a Little Love In Your Heart“, a música de grupo que teve Cisco, Winn, Music Meister e Malcolm Merlyn cantando na realidade alternativa, lembra muito um número musical de Glee e ficou muito boa. Cantada pelos pais da história, “More I Cannot Wish You” foi outra boa canção que ajudou a trama que viviam naquele momento. E ver Stein e Joey como um casal foi ótimo, não foi?

Duet foi um episódio divertido, que é totalmente um fan service para quem gosta de Glee e até de musicais, mas também nos trouxe o melhor das personalidades de Barry e Kara, que às vezes se perdem no meio do caminho. Estamos ansiosos para que eles voltem a cantar um dia e, por fim, esperançosos (mais uma vez) para que a reta final da temporada de The Flash tenha uma melhora significativa.