Ingobernable | Primeiras impressões sobre a nova série mexicana da Netflix

O que dizer dessa série que mal conheço e já considero pacas? Ingobernable é a nova produção mexicana original da Netflix que vem para nos mostrar que as tramas em torno de uma presidência mexicana ficcional pode ser bastante animada. A série, cujos 15 episódios já estão disponíveis no serviço de streaming, tem uma abertura frenética de 15 minutos onde acompanhamos a primeira dama, Emilia Urquiza, se divorciando do presidente do México, o que acarreta algumas perdas de âmbito político para ele e, por isso, o presidente Diego Nava não está nada feliz com o divórcio. A coisa acaba se tornando física e acarreta em uma tragédia que faz com que Emilia deixe de ser a Primeira Dama para se tornar a pessoa mais procurada do México.

A série investe muito nessa trama de “gato e rato”, focando sempre na luta de uma mulher em fuga que conhece todos os procedimentos de evacuação do governo, supondo que vamos achá-la cativante e instigante, mesmo que nós aprendamos muito pouco sobre Emilia ou o motivo pelo qual ela está fugindo.

A trama é envolvente, mas ao menos nos episódios iniciais continuamos com a sensação de esperar que o show rompa logo com sua introdução e entre em algum tipo de flashback que mostre como o primeiro casal, aparentemente queridos da nação, chegou a essa situação insustentável que acompanhamos no piloto.

Creio que as audiências latinas podem ter o maior interesse em assistir Ingobernable graças à presença de Kate del Castillo, uma grande estrela no México. Mas até o momento ela não teve muito o que fazer além de correr e lançar olhares furtivos. Apenas a partir do terceiro episódio é que a série começa a demonstrar que pode ser algo maior do que apenas um thriller de mulher em perigo. A torcida é para que a trama continue crescendo e que Ingobernable se mantenha tão interessante quanto está sendo neste início. Vale a pena conferir.

Darlan Generoso

Economista, podcaster e troll profissional.