PokéStop | #10 – Pokémon 3: O Feitiço dos Unown

Depois de dois filmes onde Ash é o herói central das suas histórias, Pokémon 3: O Feitiço dos Unown segue um pouco diferente de sua linha cinematográfica. Sim, o treinador que anda com Pikachu e seus amigos continua sendo o protagonista da franquia e até deste filme. Porém, mesmo ele tendo seu destaque como o grande guerreiro de toda sua trama, não é o salvador da pátria neste longa.

O filme não tem um vilão claro e nem tem toda uma história de vingança contra a raça humana ou a obsessão de captura de Pokémon, como nos dois anteriores, mas sim um desenvolvimento sobre a menina que sente falta tanto de seu pai, desaparecido recentemente, quanto de sua mãe, que também sumiu.

Essa é Molly, a criança que leva o título de grande vilã e também heroína do filme. A história toda muda um pouco a forma como os filmes de Pokémon eram tratados até então, criando uma nova fórmula para a franquia. Apesar de ser o “grande inimigo” da história, Molly nem de longe merece ser levada como vilã da própria trama e do mundo que criou, pois eram apenas desejos realizados que ela tanto queria para sua vida, como ter seu pai e sua mãe de volta e depois se tornar uma treinadora Pokémon.

Os Pokémon apresentados no filme também não devem ser considerados vilões, como Unown e Entei, pois estavam ali para realizar os desejos da inocente criança que só queria ter sua família consigo. Tanto que no final, quando as coisas saem do controle, a culpa não é deles, mas sim da carga de energia em torno de tudo.

As batalhas neste filme são bem decepcionantes também. Quando um Pokémon enfrenta o outro, em dois ou três golpes tudo se resolve. O que salva é a sequência próxima do fim, onde Charizard, com Ash montado em suas costas, luta contra Entei. Aquilo sim é uma batalha digna que esperamos para ver no desenho.

A relação mais próxima de Ash com a sua mãe é um ponto alto do filme também, pois mostra que mesmo ela deixando um filho de DEZ ANOS partir em uma jornada para se tornar um mestre Pokémon e ele não ligando muito para ela pra contar como anda sua vida, a ligação entre os dois é forte. Uma real conexão entre mãe e filho.

Entretanto, Pokémon 3: O Feitiço dos Unown mudou um pouco o que vinham fazendo com os filmes da franquia e deu abertura para novos longas com diferentes histórias, sem seguir a mesma fórmula, além de ser muito bom naquilo que se propôs a fazer. Não é à toa que este é um dos meus filmes favoritos. Até a próxima PokéStop!!