RED | A escaldante terceira temporada

Finalmente chegamos à terceira temporada de RED, e é com muita satisfação que eu venho mais uma vez comentar essa delícia nacional com vocês. Já renovada para uma quarta temporada, a websérie brasileira concretiza só agora o relacionamento das protagonistas – o que para nós fãs é um grande presente, já que torcemos tanto para esse casal finalmente vingar e viver esse amor. Mas ainda temos o casamento de Mel e Henrique como fator pendente aqui, o sofrimento dele e o desejo de voltar com sua esposa, ao mesmo tempo que a vê feliz, mais leve e livre com suas escolhas de vida.

Bem verdade que a suspeita da gravidez pairava fortemente sobre nós no final da temporada anterior, e aqui tivemos a confirmação de que um bebê está a caminho. Algo que Mel tenta lidar ao longo dos episódios, já que o término com Henrique não foi nada calmo. Diversas vezes o vemos sofrendo pelo fim do relacionamento e não aceitando o novo em que Mel se encontra. Ao descobrir sobre a gravidez, ele ainda tem umas atitudes bem machistas como alegar que isso é motivo para o casamento fracassado ter uma nova chance, jogar a Mel contra a parede ao dizer que o fato dela ser bissexual é uma fase e uma das piores coisas: se meter no relacionamento das nossas lindas protagonistas para esfregar na cara da Liz a gravidez e ainda mandar ela se afastar da sua ex-esposa.

Lembram da opinião de Mathias sobre ele? Pois é, acrescentem um nojinho em cima e este é o meu sentimento sobre o personagem durante a temporada. Henrique tem o direito de participar desta gravidez? Tem. Tem o direito de sofrer com o fim de um casamento no qual ele colocou todas as suas esperanças? Também. Contudo, ele não escutou nem a Gaia e nem a Mel, e pior: teve uma atitude infantil e machista em relação a toda esta situação no qual ele e a sua ex estão envolvidos. E a frase clichê que ele usa é bem típica de gente com a mente fechada: “Isso não está certo“. Deu muita raiva dele e das suas atitudes, apesar de serem compreensíveis por um lado… Mas algo que jamais tive foi pena, principalmente de uma pessoa que faz o que ele fez.

O relacionamento de Meliz também traz seus problemas, apesar dos momentos lindos de paixão, amor e cumplicidade entre as duas. Primeiro que elas começam a guardar segredos uma da outra: Mel sobre a gravidez e Liz sobre sua recaída. Muito se foi comentado durante a temporada sobre o vício da personagem, o motivo da recaída e afins. Mas temos que entender uma coisa: este assunto não é tão simples de ser tratado e, por isso, a complexidade da recaída da personagem vá muito mais além do que meramente um namoro. Inclusive, a própria personagem diz: “Mel, não tem nada a ver com a gente. São questões minhas“. Liz também precisa de ajuda para se cuidar e, para isso, vemos a união de Anna e Liz para tirá-la desta fase difícil que está passando. Sobre o assunto das drogas ainda espero mais disso na próxima temporada, já que aqui começamos a ver um pouco mais sobre a personagem.

Na realidade, nesta temporada em si vemos um pouco mais de ambas, como o que acontece na cena no lago onde elas comentam um pouco sobre o passado e Mel confessa que sua mãe não aceita bem ter um filho gay e uma filha bissexual. Este foi outro assunto bem tratado, já que a série trouxe isso de forma pioneira no país e também o fato mais explícito de que os bissexuais existem sim. Muitas pessoas agradeceram por a personagem ter assumido sua sexualidade com determinação e pela série dar espaço para uma conversa aberta sobre o assunto LGBT, que é completamente representado aqui.

Outro ponto importante na temporada foi o fato de que Mel escolheu dar continuidade à gravidez, mesmo com medo de todas as mudanças na sua vida. Num primeiro momento vemos que ela diz que é preciso ter coragem para admitir um amor logo depois das duas confessarem que se amam através dos alter egos Scarlet e Simone. Mel encara de frente a coragem de ser mãe ao contar para Gaia sobre tudo que vem passando. Contudo, a jornada não termina por aí e ela ainda fica mais forte quando vai ajudar Liz. Se por um lado vemos Mel tão forte, por outro vemos que a força de Liz também não se diminui nem nas suas cenas de fragilidade, onde o roteiro e a direção são elementos importantíssimos para que os dramas internos sejam expostos.

Todas essas nuances do enredo da temporada nos levaram a um final te temporada bem tenso, já que o tal bebê deixa de existir, ao contrário da postura de Henrique. Mel, que teve todo um preparo para encarar esses novos desafios, desaba, e Liz, antes um alicerce, se vê diante de mais uma situação nada fácil. O aborto não é algo que nós mulheres superamos tão facilmente, se é que é superado, porém a vida não espera pela dor de ninguém, e Mel tem que mais uma vez erguer sua cabeça para enfrentar sozinha o que está por vir.

Por outro lado, temos que começar a pensar na problematização de Liz e ver que realmente a personagem não é tão durona e assim como todos nós: ela sofre e chora – ainda que internamente. Mesmo que isso não seja sempre demonstrado em tela, acredito que o destrinchar da série até aqui fez com que parássemos de pensar na personagem como aquele objeto de desejo sexual e perceber que a mesma é bem mais profunda e complexa que isso. E claro, por amar tanto a série e a história de Meliz, somente espero o melhor para as personagens de Ana Paula Lima e Luciana Bollina.

Alguns detalhes continuaram nesta temporada lindíssima, assim como a fotografia de Fernando Belo, a trilha sonora que tanto amamos (e parece-me que Oliver Riot ficou como cantor oficial do casal com suas lindas músicas) e a escrita de Germana Belo, que continua fazendo com que muitos fãs se identifiquem e se emocionem tanto com a história. Mais um adendo é que RED ganhou o mundo e saiu por aí mostrando a que veio: bem escrita, produzida e cativante.

Porém, para continuarmos com toda essa lindeza, vocês já sabem que o projeto independente precisa muito de ajuda, inclusive para fazer a tão aguardada quarta temporada. Em breve deve começar a campanha de arrecadação – que eu sempre acho linda e bem feita também. Além disso, também existe o Shades of Red para contar algumas entrelinhas desta história.

Novamente só tenho a agradecer por mais uma temporada, por um espacinho aqui no site para comentar essa delícia e, claro, a todo o fandom que se criou neste tempo entre o segundo e o terceiro ano de RED. Sem vocês nada disso seria possível de verdade. E temporada que vem nos reencontraremos aqui, no LoGGado, para comentar sobre Meliz e tudo que estão preparando para o futuro das nossas protagonistas.