Segunda edição do Cineclub WOO! lança dois filmes independentes

O Cineclub WOO! teve sua segunda edição realizada no dia 8 de junho. O evento, que acontece na Cinemateca do MAM, no Rio de Janeiro, continua em desenvolvimento e é uma ótima iniciativa, pois propõe a abertura de portas para produções independentes. Fazer cinema no Brasil é uma tarefa árdua, por mais que seja uma indústria que tem crescido nos últimos tempos, produzir um filme sem ajuda do governo e orçamento limitado é um grande desafio.

A proposta do Cineclub, desenvolvido pela revista cultural WOO! Magazine e pela produtora Wallaroo Corp., de apoiar esses produtores independentes é um ato louvável que deve servir de inspiração tanto para aqueles que sonham em produzir seu próprio filme, quanto para as demais produtoras. Na segunda edição foram apresentados um curta e um longa sobre os quais falarei brevemente aqui.

Curta: Universo 88

Direção: Lohan Costa e Lisando Gaertner

Este curta foi totalmente concebido por alunos de um curso de extensão de cinema, ministrado pela professora Raquel Duarte Garcia (Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA), e também contou com a ajuda da crítica de cinema Andrea Cursino, que pela primeira vez participa da produção de um filme. É um curta mudo e em preto e branco, que gira em torno de um homem depressivo, que luta dia após dia para buscar significado na vida depois da morte de sua esposa. Há elementos muito interessantes no curta, como o fato de alguns especificamente terem cor: a rosa, o vestido vermelho da mulher e a bebida. Elementos que, para o personagem, representam a vida, enquanto ele mesmo, sem cor, aparenta essa falta de vida. Outro detalhe interessante é a trilha sonora escolhida. Ao invés de uma música melancólica, foi selecionada uma melodia no piano, cujas notas são aleatórias, mas que em algum momento se repetem, representando essa rotina caótica do personagem.

Longa: Bromance

Direção: Thiago Sardenberg

O longa foi totalmente produzido em Roraima, cidade natal do roteirista, diretor e ator do filme, Thiago Sardenberg. Ele se baseou em sua própria vida para contar a história desses dois amigos de personalidades completamente diferentes que se unem por uma paixão em comum: o cinema (e talvez uma mesma mulher). A equipe do filme é 100% roraimense e o mesmo foi produzido sem auxílio do governo. A história é interessante e com certeza os cinéfilos vão gostar das referências cinematográficas, embora o filme acabe pecando em certos momentos com diálogos muito extensos e cansativos. Mesmo assim, é uma produção importante para provar que sim, é possível fazer cinema em qualquer lugar do Brasil.

A próxima edição do Cineclub WOO! acontece na segunda quinta-feira do mês de julho. Se você é um produtor independente e procura um espaço para exibir o seu filme, entre em contato pelo e-mail cineclubwoo@woomagazine.com.br. No e-mail, envie o link do vídeo e informações sobre o mesmo.

O evento conta com o apoio dos sites e canais: Cinema Para Sempre, Tabula Rasa, Dizaê, LoGGado, Cabana do Leitor, Clube do POPWooMaxx e Woo! Magazine.