The Sinner | O retorno de Jessica Biel à TV

A Summer Season é mais conhecida por soltar algumas bombas do que qualquer outra coisa, mas com The Sinner, nova produção do canal USA, a gente percebe que assistindo algumas das séries com cuidado, nem todas são de se jogar fora, e o novo suspense da emissora é uma delas. Resgatando Jessica Biel e Bill Pullman (sim, Bill Pullman!) de volta para a TV, o seriado baseado no best-seller do mesmo nome conta a história de Cora (Biel), mãe muito jovem que tem um ataque assustador de raiva e não lembra o porquê. O problema é que ela comete um assassinato e o detetive Harry Ambrose (Pullman) começa a investigar os motivos de Cora ter feito o que fez e, a partir daí, a série vai revelando segredos assustadores.

Até aqui você deve ter pensando que já viu todas essas histórias antes, mas tem uma intriga na trama desde o início e, no começo do primeiro episódio, vamos observando que Cora, o marido e o filho aparentam ter uma vida bem sossegada e americana. Até a personagem surtar no meio da praia e cometer o homicídio que faz com que o personagem de Bill Pullman, Harry, seja introduzido. Logo de cara nós detectamos outro esteriótipo de detetive cansado das mazelas da vida, mas a polícia encarrega o veterano de tomar conta do caso.

O surto de Cora vira a vida dela ao avesso, claro, e enquanto ela está presa vamos acompanhando um novo drama se formar na família da protagonista. O destaque do seriado nos dois primeiros episódios fica por conta da atuação de Biel, que consegue nos deixar intrigados com o que se passa na cabeça da personagem até em uma cena de sexo não tão escandalosa para a televisão hoje em dia.

Em alguns momentos desses dois episódios que já foram ao ar, percebemos que o roteiro mexe com a cabeça do telespectador. Por mais que achemos saber o que vai acontecer (de tanto ver a mesma história), a trama toma uma direção diferente. Cora é uma personagem confusa e bem densa, o que nos leva a pensar que talvez seu surto psicótico seja algum trauma de infância ou adolescência.

Outro destaque é que, apesar de parecer cansado e acabado por conta da profissão, o detetive Harry se mostra muito intrigado pelas motivações de Cora e ele também tem seus segredos confusos. O seriado não poupa o espectador de ver sangue na hora da cena do assassinato, que já ocorre logo no começo e tira a velha premissa de “quem matou?” do roteiro para não ficarmos cansados.

The Sinner entrega uma história curiosa durante suas primeiras duas horas e é cheia de segredos. Como já disse lá no início, a gente acha que a família é pacata e bem americana, mas após o choque inicial do assassinato começamos a pensar diferente e algumas cenas da série brincam com o plot o tempo inteiro. É uma boa pedida para quem quer uma série nova na grade.

LoGGado

Notícias, Críticas, Reviews e Podcasts descontraídos sobre o mundo das séries, filmes, cinema, TV, música e entretenimento!!