Scandal | 7×03 – Day 101

O terceiro episódio da temporada final de Scandal deu uma congelada em todos os acontecimentos que vinham esquentando a série desde o sexto ano. Isso porque os escritores decidiram dedicar este capítulo ao ex-presidente Fitz Grant e seu ex-chefe de gabinete americano Marcus Walker que, vale lembrar, também é ex da atual presidente Mellie Grant.

Shonda decidiu mostrar ao público que ainda se importa com Fitz e com o que ele fez durante os 100 primeiros dias do mandato de Mellie. O resultado foi um episódio bem morno, quebrando o que o seriado vinha apresentando até aqui. Fitz seria um personagem muito melhor se não fosse seu envolvimento com Olivia, isso é verdade, porque o roteiro de Scandal consegue dar vida à dona de Washington mesmo quando ela não está de romance com o ex-presidente. Mas quando o assunto é tornar Fitz interessante os escritores falham. Isso porque foram seis longas temporadas fazendo o cara correr atrás de Liv e não existe nada menos interessante que isso, embora o público norte-americano ame #Olitz.

Voltando ao episódio três desta temporada, observamos nosso ex-presidente lidar com coisas mundanas em Vermont, como dirigir seu próprio carro e até mesmo usar um cartão de crédito sozinho. Logo Fitz se cansa e pede a Marcus, seu ex-companheiro da Casa Branca, para que volte mais cedo de suas férias e é isso que Marcus faz. A partir daí, vemos uma bromance entre os personagens surgir enquanto eles bebem juntos e falam de suas ex-namoradas.

Tudo se resume às crises existenciais (e superficiais) de Fitz. O episódio não prende seu espectador em nenhum momento, a não ser que esse seja um fã ferrenho do ex-namorado de Olivia Pope. O seriado ainda nos mostra Marcus e Fitz brigando quando o ex-chefe de gabinete se cansa do privilégio que o ex-presidente teve a vida toda.

Ele joga na cara do personagem que os dois mandatos dele são uma obra de Liv e que ele tem sido ajudado toda a sua vida. A cena é interessante, com Marcus falando umas verdades sobre o racismo do mundo daquele jeito que só Shonda sabe jogar em nossa cara. Só que o absurdo da situação toda é que os dois brigam depois dessa discussão acalorada e todo mundo fica sem entender nada.

Depois que Marcus deixa Vermont, ele liga para o Salão Oval da Casa Branca apenas para conversar com Mellie sobre Fitz, que ensina o passo a passo para lidar com seu ex-marido. Enquanto eles conversam ao telefone, fica claro o quanto são apaixonados um pelo outro. Ou seja, ainda dá tempo de Scandal nos apresentar o que nunca apresentou nesses anos todos: um casal interessante. A cena de Bellamy Young é um sopro de ar fresco em um episódio quase perdido na lista do novelão.

Ainda temos Eli Pope de volta descarregando toda sua raiva no ex-líder do mundo livre e contando que sua filha agora é a nova comandante do B613, deixando Fitz desolado e Marcus voltando a Vermont para se acertar com seu novo amigo, apesar dos socos e insultos. Isso porque, como Mellie bem avisou, ninguém escapa de Fitz por razões que jamais entenderemos por aqui. O episódio termina com Grant se perguntando se Olivia é o mundo de todo mundo ou apenas o dele. E o ex-presidente volta à capital a fim de ajudar um estudante ativista e visitar sua amada, como vimos no final do capítulo anterior.

Resta saber se na próxima quinta-feira teremos muito drama ou um drama moderado. E estamos aqui esperando que Scandal não pare com seu ritmo após este terceiro episódio.