Nerd de Pijama | “Tenha coragem e seja gentil”

Esses últimos dias não vêm sendo fácil para mim pessoalmente, mas sabe quando você chega em casa morta e destruída e tudo que quer é dormir até às 15h do outro dia e não pode? Pois é, é preciso sempre renovar as forças, as energias e, claro, pôr as séries em dia. Como boa fã do DC Universe, esta nerd que vos escreve começou a maratona pelo início. Simplesmente amei a volta de Supergirl. Mas algo me incomodou muito neste episódio, que vocês podem conferir mais sobre na review aqui do site.

Após ver o episódio, realmente me senti como a Kara, super-destruída emocionalmente e só tive uma vontade: rever o filme da Mulher-Maravilha. Ironicamente ou não, foi nesta semana que eu soube do novo projeto das atrizes do DCU na TV, o #Shethority. Tudo isso, somado ao fato de voltar a uma rotina chata de estudos e trabalhos nerds, me fez parar um pouco e repensar sobre os últimos acontecimentos. Os vídeos e textões sobre feminismo são todo dia divulgados, assim como os crimes contra as mulheres que ainda acontecem diariamente na nossa sociedade. No fim do dia, nós meninas só queremos talvez um abraço e ouvir um “está tudo bem, vai ficar tudo bem”.

Reli algumas falas também da líder feminista exemplar que ela tem na série, Cat Grant, e sinceramente tudo faz sentido no final. Seja lá qual for o motivo, convenhamos que conversar com sua melhor amiga sobre tudo e qualquer coisa nas horas mais estranhas da vida é um alívio e uma gratidão sem limites no mundo. Beijos para a minha, por sinal. Seja você fã da DC ou não, é só ouvir o “Joanne” ou “Lemonade“, é só se revoltar com toda essa realidade hipócrita social que vivemos e agir. Eu queria poder dar um abraço nas atrizes da CW pela atitude, mas queria que essa ação também se expandisse para o Universo da Marvel, para os filmes, literatura, música… E lembro agora daquele ato feminista que houve nos Estados Unidos após a Hillary Clinton não ter sido eleita.

Se todos os dias as pessoas lutassem mais por um conjunto de ideais, como a igualdade dos sexos e tantos outros problemas sociais que enfrentamos, talvez não tivéssemos que lutar para pegar o vídeo-game do namorado e mostrar que jogamos tão bem quanto dirigimos, quanto escrevemos roteiros cinematográficos, e somos ótimas diretoras de arte também. Se repensarmos nossos gostos nerds (pelo menos) por um momento, este é o motivo pelo qual admiramos as super-heroínas, porque vibramos na cadeira quando a Viúva Negra bate tanto dos inimigos durante suas cenas, porque a Lara Croft é tão inteligente que quando ela fala sobre algo ficamos bobos…

 “Se não eu, quem? Se não agora, quando?

Como diz a Queen Bey, as mulheres governam o mundo e isso é só o começo do nosso trabalho pela manhã. Afinal, a luta nunca termina para nós que conseguimos subir sempre no próximo level desse jogo da vida – seja com nossas capas, armaduras amazonas ou até mesmo pijaminhas nerds de sempre. E lembrem-se, meninas, toda vez que der vontade de fugir para nossas fortalezas da solidão, vai ter um time lindo de super-amigas para te ajudar (seja nas séries, nos filmes ou na vida). E simbora chutar umas bundas de problemas pelo meio do caminho!