Lucifer | 3×06 – Vegas with Some Radish

Ainda estou batendo palmas para os roteiristas de Lucifer a cada semana que passa. Que episódio bacana, meus queridos! Lembram que na semana anterior eu tinha comentado sobre a volta de plots antigos para uma conclusão de perguntas em aberto? Pois é, esta semana Morningstar voltou à Cidade do Pecado para descobrirmos como foi que ele e Candy acabaram se casando e como ele a ajudou. Bem, quanto aos motivos eu não poderia esperar menos do galante anjo caído que temos e agradecer em como fomos descobrindo isso durante um episódio em que sua esposa esteve desaparecida.

Porém, Candy escolheu justo o dia do aniversário de Chloe para ser resgatada pelo maridão, que largou tudo e foi até Vegas com Ella – que se intrometeu na história de uma maneira forçada só por estar com saudades de sua vida nos cassinos, mas até que ser sidekick do Lucy não foi tão forçado assim e agradou bastante a química de ambos em cena. Para começar a investigação, eles vão até o local do crime e descobrem que Candy não está morta, mas escondem este fato da polícia para não alarmar ainda mais o culpado(a).

Vimos que Candy, na verdade, é filha de um dono de bar na cidade que faleceu e teve problemas financeiros para continuar com o negócio do pai, sua verdadeira paixão de vida. É nesta hora que Lucifer entra e a salva com o casamento, tendo apenas que ir até Los Angeles para que o mais novo amigo faça ciúmes à mulher que o fez chorar com álcool e muito sorvete de menta com chocolate. Já vimos o resultado disso, porém após a tentativa de assassinato, Candy percebe o real motivo e vai atrás do senhorio a quem devia dinheiro antes do seu casamento. Só que ele está morto e as suspeitas que caíram sobre a esposa da vítima desaparecem quando ela esbarra com Lucifer e Ella na saída de um cassino.

Para completar o caso, Lucifer usa-se de isca, já que legalmente tem direito ao bar de Candy em caso de sua morte. E o que foi o show desse homem no palco, minha gente? Pelo amor, Tom Ellis, me carrega! Eu não fiquei surpresa ao perceber que o assassino era o bartender, eu sempre suspeitei dele desde que o Lucy passou sua primeira noite em Vegas. O mais legal neste episódio realmente foram as tiradas cômicas de Ella e a contextualização de Candy na timeline do nosso protagonista, nem mesmo a Chloe bêbada sendo analisada pela linda enquanto ambas tentavam destruir o apartamento de Morningstar foi animador.

Mas admito que segurei muito minhas lágrimas na cena final, quando ele volta para sua cobertura e descobre Chloe dormindo em sua cama. Presenteá-la com a bala foi um ato lindo e, senhores roteiristas, por favor acabem logo com essa tortura dos infernos com esse casal! Está mais do que na hora deles ficarem juntos, não coloquem o embuste do Marcus e nem o Daniel no meio disso ou nenhuma outra mulher! Deus é mais na causa desses dois juntos, não acham?