Dark | O intrigante e satisfatório mistério alemão da Netflix sobre família e gerações

Dark é a mais nova aposta de terror da Netflix. O mistério envolve Widen, uma pequena cidade alemã que logo se mostra um chamativo para segredos e mistérios, como qualquer obra de Stephen King, e o espectador logo nota as homenagens ao mestre do horror literário – assim como as homenagens para Stranger Things. Comparar o seriado com It: A Coisa ou com a série mais popular da Netflix é normal, mas a produção alemã mostra que tem originalidade também e nos presenteia com dez episódios de muito suspense e tensão.

A história se passa em uma soturna cidade do interior da Alemanha e vamos acompanhando a história de quatro famílias e o conflito de gerações. O estopim começa com o desaparecimento de duas crianças e o despertar de algo sobrenatural, que aconteceu pela primeira vez nos anos 1980 com os adultos da cidade, na época adolescentes. Pássaros morrem, luzes piscam e uma caverna sinistra parece ser o “portal do mal” que leva os inocentes para… Onde? Essa é a grande interrogação do seriado, e não pense que a resposta vem assim fácil.

Mas antes de todo o mistério começar, ao mesmo tempo que o primeiro jovem desaparece, um suicídio também paira sobre as cabeças da população de Winden e atormenta o jovem Jonas, já que é seu pai a vítima da angústia que o faz tirar a vida. E não é spoiler! Dark é realmente tão obscura que já mostra a cena da morte nos primeiros minutos da série. E enquanto Jonas lida com a morte do pai, vemos também sua avó, que se mostra distante da família, esperando para abrir a carta que seu filho deixou com instruções específicas para que ela não fosse aberta antes da hora.

E depois disso a angústia toma conta dos personagens, que são muitos, mas isso não atrapalha o ritmo do seriado – pelo menos nas primeiras horas. Todo mundo tem um segredo e ninguém quer falar sobre em voz alta, por mais que isso contribua para o sufoco que todos estejam passando. E como cidades pequenas têm figuras características, aparentemente só um velhinho – dado como senil – entende o que está acontecendo e profetiza que a história irá se repetir.

Até aqui todo mundo está pensando que já viu tudo isso antes, mas ao assistir a série, mesmo sendo de origem alemã, a experiência não é estragada e em nenhum momento você se sente entediado. O texto e as sequências de cena da produção nos deixam com vontade de entender tudo que está acontecendo e ansiando pelo próximo episódio. É mais um prato cheio para os amantes do gênero.

Dark mistura viagem no tempo com terror psicológico e aquela desconfiança nas grandes corporações e na polícia, entregando um conteúdo satisfatório em sua trama com desfechos que não deixam a desejar. Fica a torcida para que exista uma segunda temporada com mais mistérios sufocantes e conflitantes. E tudo isso com uma boa dose de músicas dos anos 1980, porque ninguém resiste a uma boa referência.