Scandal | 7×08 – Robin

A reta final do drama político de Shonda Rhimes começou! Scandal está de volta com muitas conspirações em seu oitavo episódio. Quando o seriado entrou em hiato, ficamos com uma dúvida: Quinn está realmente morta? O pai de Olivia foi longe demais? Scandal vai ter um series finale bom ou duvidoso? E muitas dessas dúvidas continuam pairando na história de Shonda, em um episódio cheio de culpa e tristeza.

Para começar, alguém é realmente morto por Rowan Pope e continuamos sem saber quem estava naquele quartinho. Após isso, vemos o pai do ano botar fogo em um carro com um corpo dentro e é comprovado que o corpo em questão é o da melhor amiga de Liv. Isso é o suficiente para que todos se enlutem e comecem a perder a cabeça, iniciando pela nossa ambígua protagonista – que continua fazendo tudo na série no limite de sua raiva.

Enquanto Liv lida com os demônios da culpa, Huck começa uma investigação por conta própria. Ele chega a confessar para Abby que foi Olivia que matou Quinn e volta a frequentar os Alcoólicos Anônimos para conter sua vontade de matar, agora que sua amiga provavelmente se foi. Conhecendo os produtores de Scandal, é capaz de Quinn aparecer no último episódio da série porque uma coisa é certa: a personagem com certeza não está morta.

Muita coisa foi deixada no ar em relação à cena do tiro. Ninguém deveria acreditar na palavra de Papa Pope e em um simples exame de DNA quando se trata de Shonda, mas foi bom ver o lado mais humano desses personagens, pois já fazia um tempo que muitos deles não despertavam mais simpatia no público, como Abby e a própria Olivia. Aliás, Liv voltou a usar seu icônico chapéu branco em uma cena na qual, bêbada e sem saber que Huck desconfia dela, ela entra no OPA e começa a desabafar com o amigo.

Essa é mais uma daquelas cenas de Scandal em que Kerry Washington mostra todo o seu potencial, com a série lembrando quem Liv e Huck realmente são gladiadores. Mas será que eles são mesmo? Depois de tantos anos de sangue, perdas e escândalos, está todo mundo meio perdido e o roteiro da série fez questão de mostrar isso com este episódio, que não foi estrondoso, mas serviu para se impor.

No geral, a história não andou muito e temos também uma cena que dói o coração, com todos os personagens no enterro de Quinn se despedindo enquanto são mostrados flashbacks dela com Charlie, Huck, Liv, Abby, Marcus e David (vale lembrar que Jake está lá também e os escritores continuam sem saber o que fazer com ele e Fitz na série). O ponto mais fraco do episódio é novamente Olitz, o casal que já deu o que tinha que dar. No começo de Robin, Liv tinha dado mais um chega pra lá no ex-presidente, mas correu novamente para os braços dele, provando assim que esse relacionamento será final na série, já que ninguém larga o osso.

E enquanto todo mundo continua cometendo erros causados pela emoção, Charlie se envolve em uma briga com Rowan que pode ser fatal, já que ele descobre um segredo que o pai de Liv estava obviamente escondendo. E não, ainda não é sobre a verdadeira condição de Quinn – mas pode se tornar uma pista, pois seria muito óbvio a personagem estar realmente morta. Fica o mistério e a esperança de que agora o seriado pegue fogo novamente e não perca o ritmo até seu final.