Knightfall | 1×08 – IV

Com este episódio, Knightfall tem uma reviravolta enorme em seu roteiro e nós adoramos ver como as coisas viraram de ponta-cabeça no mundo de Landry e Joan também. A rainha da Inglaterra se depara logo com a surpresa inesperada de sua prima Helena, que quer vingar a morte de seu filho (o que iria casar com Isabella), e, para tal, ela cerca os poucos homens de Joan na corte de Navarro e lhe dá uma escolha bastante difícil: matar o filho que está em sua barriga ou sua filha que está em Paris.

Joan reza muito e pede para que a prima seja racional, mas quando percebe que realmente não tem saída, ela escolhe que Isabella morra. É quando nos perguntamos: ela realmente ama o Landry a este ponto? Mas Joan tem uma cartada na mão e manipula Helena, mostrando que tudo que está por trás de suas ações é o seu luto pelo filho tão amado da mesma. Logo, Helena se mostra desestabilizada emocionalmente e Joan a mata para mostrar ao seu povo que ela deve ser respeitada como rainha de Navarro e da Catalunha agora. Mas ela confessa à sua criada Sophie que deve voltar a Paris por questões de honra e que se nada der certo ela irá mesmo fugir com Landry.

Uma das coisas mais desgostosas no episódio realmente foi o mestre templário. Landry tem uma necessidade tão grande de demonstrar um caráter não corrupto que fez uma das maiores besteiras da história da humanidade: entregar o Graal ao Papa. Claro que até então estamos falando de um Papa boa pinta e amigo de todos, mas não se enganem: Percival morreu e deixou o rastro de que o homem por trás da morte de Godfrey se intitulava IV – sim, o número quatro em algarismos romanos. Código este da guarda papal, e quando Landry descobre isso já é um pouco tarde demais, não é mesmo? Então ele e os seus próximos são cercados dentro do templo pelos homens do Papa… Se eu fosse a mãe dele ali, tinha dado umas surras para ele aprender a parar de ser besta.

Quantas vezes desde o início da série não ouvimos o aviso de que homens são corruptos e de que não se deve confiar segredos a todos? Mas o Landry só aprende as coisas depois… A sorte dele foi que a Irmandade da Luz apareceu de última hora para salvar a sua vida, a de sua mãe e daqueles três gatos pingados que sobraram, pois o Papa teve ajuda do moleque que assassinou Percival. Eu realmente não esperava que o Papa estivesse por trás de tudo e julguei o Nogaret sobre este assunto também, afinal, o ódio pelos judeus e por todos praticamente deixa o personagem bastante característico a isso.

Outro ponto interessante do episódio foi justamente o fato de que William correu para as saias do irmão Philip para contar sobre a traição de Joan, pedir mais uma vez para ser ouvido e, claro, fazer o que ele acredita ser o melhor para o rei e a coroa francesa. A princípio o rei não acredita muito nas suas palavras, mas ninguém é de ferro, e ao ouvir que tem um espião da coroa entre os templários, ele decide dar ouvidos ao irmão e lhe proporciona dinheiro para começar a montar um exército francês digno. Se a coroa se voltar contra os templários vai acontecer uma treta maior ainda na série, já que agora eles estão contra o Papa… E, como sabemos, estar contra a Igreja não é nada fácil. Mas vamos esperar para ver se a rainha Joan consegue impedir mais esta guerra.