Supergirl | 3×12 – For Good

Supergirl vai entrar em um novo hiato depois de seu 13º episódio e está programada para retornar no dia 16 de abril. Essa informação é importante para entender a função deste episódio: enrolar para poder fazer a série entrar em pausa em um momento mais emocionante. Isso não é ruim, mas poderia ter sido muito melhor.

For Good pode ser descrito com a palavra razoável. Não teve nenhum grande problema, teve ótimas referências aos quadrinhos e uma cena de luta muito boa, mas ao mesmo tempo foi um ótimo exemplo de como desperdiçar potencial. Tanto a relação de Morgan Edge com Lena quanto a volta de Lillian são elementos de enredo que poderiam sozinhos render uma história melhor do que aquilo que acompanhamos neste episódio.

A rivalidade nada amigável entre Morgan e Lena rendeu alguns ótimos momentos nesta temporada, então é realmente triste que a aparente conclusão deste conflito tenha acontecido de modo tão bobo. É verdade que pudemos acompanhar a Lena mostrando as partes mais interessantes de sua personalidade, mas esse bom desenvolvimento de personagem acabou vindo enrolado em um enredo extremamente simples e desinteressante.

Entretanto, nada se compara à decepção que foi a derrota de Lillian. Quando a personagem desapareceu, a expectativa era de um retorno incrível. Algum plano para destruir a Supergirl, algo para arrasar a cidade, qualquer coisa que tivesse grandes proporções. Fazer com que o motivo do seu retorno seja defender a filha que ela nunca ajudou, sem nenhum interesse por trás, não só não faz sentido como também acaba com um potencial enorme para eventos maiores envolvendo ela nos momentos finais da temporada.

Colocando dessa forma parece que tudo foi ruim, e isso não é verdade, o problema é que foi tudo muito simples. Entre os pontos positivos tivemos as referências às aventuras da Legião dos Super-Heróis e, claro, o uso da armadura de combate do Lex Luthor. Isso é algo que todos sabiam que eventualmente ia aparecer, e independente do momento em que foi usado, o impacto foi bem grande. A armadura poderia ter dado mais trabalho para ser derrotada? Sim, com certeza, mas só de ver algo tão icônico na série já fez a experiência valer a pena.

As cenas dedicadas à Sam foram boas também, especialmente porque finalmente nós conhecemos um pouco mais daquela que é a segunda personalidade da Reign. A personagem precisava ser aprofundada, e este episódio com certeza cumpriu bem essa função. Além disso, também vimos um pouco mais da relação entre as quatro principais mulheres da série e, por mais que a amizade delas tenha se desenvolvido extremamente rápido, é bom ver esse vínculo sendo trabalhado (especialmente porque vai ser interessante ver o que vai acontecer quando a identidade da líder das Worldkillers for descoberta).

For Good não fez jus ao potencial que tinha e infelizmente ficou abaixo da média da temporada, mas, ainda assim, não foi ruim. Com o roteiro dando atenção aos personagens certos, o episódio fluiu bem e conseguiu cumprir a função de preencher o espaço logo antes dos eventos maiores.