Lucifer | 3×23 – Quintessential Deckerstar

Com apenas um episódio para o fim de sua temporada, Lucifer entrega um de seus melhores capítulos durante todos os três anos de exibição. Além de englobar todos os plots construídos durante a temporada, o episódio ainda emocionou e questionou conceitos implantados desde o início da série sobre o céu e o inferno e ainda mais: sobre o que seria um anjo. Se o próximo ano vier tão bem quanto este, tanto em quesitos de roteiro quanto em atuações, será muito mais lindo de acompanhar. E obrigada aos roteiristas que trouxeram a pequena Trixie de volta ao elenco, estávamos com saudades desse sorriso bobo ao ver o Lucy.

O caso do dia foi simples, mas revelou um dos antigos clientes de Charlotte que ela tinha ajudado a se livrar de um crime cometido 14 anos atrás. Contudo, como a advogada hoje é uma pessoa renovada pelas divindades que a cercam, Charlotte agora quer provar que o famoso jogador de beisebol Forest Clay é o assassino de sua esposa – que é vítima do caso atual de Decker e Lucifer. E para ter provas contra o homem que atormenta seu loop infernal ao dormir, Charlotte pede uma ajudinha a Amenadiel, já que é mais uma chance dela se redimir pelos seus erros na vida.

Além do anjo favorito de Deus, ela também se une à Chloe para desvendar o caso e deixa Lucifer um pouco de lado, o que foi ótimo, já que o mesmo estava numa obsessão enorme em relembrar o passado dele com a detetive para que tudo voltasse ao normal entre eles após o grande evento: o término de Chloe e Marcus no episódio anterior. Ella também se sentiu um pouco culpada pelo fim, já que se animou tanto com o shipp, porém foi para ela que Chloe confessou seus sentimentos verdadeiros por Lucifer. “Eu disse sim por conta dele e também disse não por conta dele“. Não tem como não amar o casal e realmente espero que agora as coisas se acertem entre os dois, mesmo que Maze e Pierce ainda estejam tramando coisas ruins na série.

Caim e a demônio andaram se estranhando também no episódio anterior, mas tentaram mudar de tática para provocar a ira de Deus perseguindo Amenadiel – que só se salvou por demonstrar uma amizade sincera para com sua ex. Isso deixou Maze confusa e a fez desistir do plano inteiro, o que rendeu uma boa briga entres os dois. Pena que ela perdeu e ele se aproveitou da situação a ponto de ir sozinho atrás do filho favorito de Deus.

Após resolver o caso e ajudar Chloe, Charlotte se encontra com o seu amigo anjo para conversar mais uma vez, só que Marcus aparece atrás de uma moita e atira contra ele – que até o momento ainda é mortal. A advogada se joga na frente do anjo e morre, sendo levada finalmente ao céu pelo mesmo numa cena linda e mais emocionante ainda quando os outros aparecem para ver o corpo de Charlotte. A reação de Chloe, de Daniel e de Lucifer são de real choque como a nossa, que jamais pensávamos em perder a personagem assim. E, claro, tristeza, já que era alguém que tinha de fato encontrado seu caminho dentro do elenco e do enredo criado durante toda a temporada também.

Lucifer ainda encontra uma pena de seu irmão na cena do crime e nós estamos aflitos para saber se finalmente eles vão nos mostrar algo do céu, se Amenadiel irá retornar à Terra, se Chloe e Lucifer irão ficar juntos e se irão descobrir a verdade por trás do assassinato de Charlotte. Agonia também para saber o que vai acontecer com a Maze e se Caim ainda terá a audácia de ir atrás do nosso casal a ponto de colocar a vida da pequena Trixie em jogo, já que ele a usou como escudo no episódio anterior. Agonia é uma palavra que descreve bem as expectativas para o final desta temporada… E o medo também sobre o que os roteiristas irão nos entregar é grande.