Animaction | Batman Ninja

Até assistir ao trailer de Batman Ninja, o receio se instalou. Afinal de contas, estamos falando de Wayne nos tempos antigos, mais antigos até do que os de Gotham by Gaslight: o Japão Feudal. E como tudo isso aconteceu? Bom, Selina Kyle nos explica desde o início do filme que estava seguindo Gorila Grodd e se deparou com uma confusão enorme no Asilo Arkham, onde o morcegão o estava confrontando e, no meio de tudo, uma explosão ocorreu com a máquina que Grodd armou. Uma máquina do tempo que arrastou consigo todos que estavam próximos para a Era do Japão Feudal.

Mas algo no espaço-tempo dá errado e o Batman se transporta para apenas dois anos depois, num Japão sob controle de seus inimigos mais famosos: Pinguim, Hera Venenosa, Exterminador, Duas Caras e, claro, Coringa e Arlequina. O sonho de unificar o país permanece e o Coringa é o único que está próximo disso, visto que tem um exército só dele e o Duas Caras é seu seguidor fiel. Ao reencontrar com a Mulher-Gato, o Batman também fica sabendo que Alfred, Asa Noturna, Robin, Robin Vermelho e Capuz Vermelho também foram transportados para aquela época e sua única chave para deter os inimigos é o Batmóvel no qual Alfred estava.

O que faz Batman Ninja ser um dos melhores filmes animados da DC, e também do morcegão, são dois fatores cruciais: a ação que não para nem para respirarmos e o cuidado com o desenho. O primeiro ponto é que o Batman ainda com toda tecnologia do século XXI vai atrás do palhaço sem hesitar, sem pensar e sem ligar para nada. Somente quando perde a primeira luta é que ele se dá conta da real ameaça presente nesta nova realidade, pois o Coringa também trouxe para a era feudal a tecnologia do século XXI e a máquina do tempo de Grodd. Sobre o cuidado com os desenhos, todo fã de animes vai pirar ao ver esta animação, pois temos referências desde a época de desenhos no papiro quanto a nova leva de animes realizados com mais tecnologia. Outro ponto forte para quem ama animes são as roupas, o design das máquinas usadas, o encaixe com o passado da era feudal Japonesa e, claro, as cenas de luta.

Sabe quando um filme de ação mostra o melhor que pode em tela? Pois aqui Junpei Mizusaki (Rockman X7, JoJo no kimyô na bôken) vai mais além ao nos entregar enxurradas de cenas de ação. Claro que algumas cenas de calmaria para lembrar os grandes mestres samurais são feitas também, como é a primeira conversa entre Batman e Grodd na nova realidade ou até mesmo a aparição de Capuz Vermelho numa cena linda na qual o morcego tem que deter sua sede de vingança mais uma vez. O filme é escrito por ninguém menos que Leo Chu (Tarzan, A Viagem de Chihiro, Afro Samurai) e Bill Finger (Gotham, A Piada Mortal, Liga da Justiça, Batman vs Superman), e ambos fazem aqui uma obra sensacional.

Batman Ninja não é apenas mais uma animação do morcegão, é tudo o que você ama e já viu na cultura japonesa incorporado de maneira linda no universo do Batman. As cores de Gotham se revelam interessantes desde o olhar inocente de Selina e Arlequina (que não têm nada de inocentes) até no traje refeito e adaptado do morcegão. Vale salientar também que até mesmo o grupo de ninjas embasado numa lenda samurai antiga nos lembra um pouco da Liga dos Assassinos do Batverso. Logo, é um prato cheio para quem ama estes dois mundos e ainda que ver grandes lutas de ação tão boas quanto os desenhos realizados e apresentados em tela aqui.