Animaction | Coraline e o Mundo Secreto

Coraline é uma joia escondida da literatura. Mesmo que tenha sido lançada em diversas formas na mídia (livro, graphic novel…), esta obra de Neil Gaiman permaneceu longe dos olhos do grande público por muito tempo, com seu sucesso ficando restrito aos fãs da obra de Gaiman – pelo menos aqui no Brasil. Esta fábula infantil, meio moderna, meio sombria, não demoraria a chegar aos cinemas e veio de forma assombrosa.

Poucos teriam a capacidade de levar às telas tão bem as palavras e intenções de Gaiman como Henry Selick, a mente por trás de fitas animadas fabulosas como James e o Pêssego Gigante e O Estranho Mundo de Jack. Adepto da antiga técnica da animação em stop motion (os famigerados “bonequinhos”), Selick não apenas adaptou Coraline para o cinema, mas traduziu a obra para uma linguagem cinematográfica ao escrever e dirigir sua versão fílmica, sem esta perder nada do lirismo da versão original. Da colaboração dessas duas mentes geniais em seus respectivos campos nasceu esta belíssima fita intitulada Coraline e o Mundo Secreto.

A personagem principal é uma menina comum de classe média americana. Seus pais são escritores viciados em trabalho e a família acabou de se mudar para um estranho condomínio chamado Palácio Cor-de-Rosa. Sem seus amigos, se sentindo abandonada pelos pais e cada vez mais entediada, Coraline começa uma relação de quase amizade com o neto de sua senhoria, o estranho Wybie, quase sempre acompanhado de um gato preto bastante blasé, além de conhecer seus excêntricos vizinhos, o Sr. Bobinski, sempre treinando seus camundongos adestrados, e as atrizes aposentadas Spink e Forcible.

Certo dia, enquanto contava as portas e janelas de sua nova casa, a jovem deu de encontro com uma portinhola minúscula, murada, a qual só é aberta por uma chave cuja ponta tem a forma de um botão. Durante a noite, Coraline acaba transportada para outro mundo no qual seus pais são atenciosos e coisas fantásticas são possíveis. Lá, as pessoas são iguais as que ela conhece, exceto que possuem botões no lugar de olhos. Cada vez mais tentada a ficar por lá, a jovem vai descobrir da pior maneira possível que nem tudo neste lugar maravilhoso é tão bom assim…

De alguns anos para cá, vemos que a animação vem se tornando cada vez mais como uma forma de arte mais reconhecida pelos antes estoicos críticos. Graças às obras de Hayao Miyazaki e das mentes por trás da Pixar, esta forma de cinema vem saindo, mesmo que de maneira tímida, da condição de “filminhos para crianças” na cabeça dos críticos. Não é exagero dizer que Coraline e o Mundo Secreto está neste mesmo nível, se não mais alto. Outro aspecto simplesmente genial do filme é sua trilha sonora, que é quase que costurada à narrativa, tem uma função na trama e a deixa bem mais macabra.

Coraline e o Mundo Secreto é um filme extremamente recomendado para pessoas de quase todas as idades. Digo “quase”, pois não é um longa que eu indicaria para crianças muito pequenas, já que algumas partes podem ser realmente assustadoras para elas. De qualquer forma, trata-se de uma verdadeira obra de arte animada e um filme realmente imperdível.