Fora de Cena | Hook – A Volta do Capitão Gancho

Hook – A Volta do Capitão Gancho é um daqueles filmes que ficam na memória de qualquer criança que hoje está na casa dos 30 anos. Lançado em 1991, com jeito de superprodução e com um elenco estelar, o longa teve muitos problemas, demorando, praticamente, dez anos para sair do papel, além de trocas de estúdio, abandono (e posterior retorno) do diretor Steven Spielberg e demissão de roteiristas.

À época, Spielberg já tinha em seu currículo clássicos dos estilos mais variados, como TubarãoContatos Imediatos do Terceiro GrauOs Caçadores da Arca PerdidaE.T. – O ExtraterrestreA Cor Púrpura e Império do Sol, portanto, expectativa suficiente para fazer de Hook um grande sucesso. O que se viu, então, foi um sucesso de bilheterias, mas um desastre de críticas.

É preciso reforçar que Hook é uma versão de Peter Pan e não uma adaptação fiel. Ela trabalha mais com a nostalgia ao reconhecer todos aqueles personagens, sejam eles mais velhos (como Wendy, papel de Maggie Smith) ou exatamente como eram originalmente (como o marujo Smee, papel de Bob Hoskins). Peter Banning (Robin Williams) cresceu e virou um homem de negócios, se esquecendo completamente de que um dia ele fora o jovem Peter Pan, da Terra do Nunca. Depois de uma discussão com seus filhos, Banning vai para um evento e quando volta para casa descobre que as crianças desapareceram. A única pista é uma carta presa na porta dizendo que ele deveria voltar para a Terra do Nunca para lutar contra o Capitão Gancho e recuperar seus filhos. A fada Sininho (Julia Roberts) surge para levar Banning de volta ao lugar onde passou boa parte de sua vida para o duelo final contra o seu inimigo. Mas, antes disso, ele precisará lembrar das coisas boas da vida e de quem ele realmente é.

Robin Williams está ótimo como Pan, mas quem rouba a cena é Dustin Hoffman. Com um trabalho excepcional da equipe de maquiagem, o ator destila ironia e sarcasmo como o cruel Capitão Gancho, especialmente nos momentos em que existem relógios próximos. Julia Roberts surpreende na pele da fada falante Sininho, mesmo que o roteiro trabalhe com uma desnecessária parte em que a fadinha declara o seu amor por Peter Pan. Reparem também na breve participação especial de uma jovem Gwyneth Paltrow em um de seus primeiros trabalhos no cinema.

Outra característica formidável no cinema de Spielberg é a capacidade assustadora do diretor em arrancar lágrimas dos espectadores. Em Hook – A Volta do Capitão Gancho não é diferente. Eu quero ver quem é capaz de não ficar emocionado quando Pan retorna e entrega as bolinhas de gude para o velho Tootles (Arthur Malet). Para quem nunca teve o prazer, e para quem quase se esqueceu, fica aqui uma recomendação do que assistir naquele domingo de frio com toda a família e muita pipoca.