Taboo | A primeira parte da jornada de Mr. Delaney

Taboo conta a história de James Delaney (Tom Hardy), que após perder o pai de uma maneira misteriosa se vê num empasse sobre o que fazer com a herança tão invejada. O problema é que James é um filho errante que abandonou a família para ir se aventurar na África dos anos 1800 – época na qual a escravidão era bem forte e que a América ainda era chamada de Novo Mundo. Contudo, o Rei da Inglaterra e a Companhia das Índias Ocidentais surgem como um problema para Delaney, já que ele não quer vender as terras que seu pai comprou na América.

Além de passar a temporada inteira lidando com esses problemas, outros plots vão surgindo, como a mais nova esposa do pai de James, o cunhado invejoso com quem sua irmã Zilpha se casou e alguns assassinatos ao longo da temporada. Tudo isso de uma maneira bastante solitária e que faz com que o espectador mergulhe na profundidade que é o personagem de Hardy, que também tem um lado mítico e parece ter adquirido em sua viagem à África, deixando-o mais interessante por isso afetar a forma como ele vai lidar com os problemas que lhe vão surgindo.

A série é bem ambientada, escrita e produzida, e conta com um bom elenco que não deixa Tom Hardy carregar tudo nas costas. Um exemplo disso é o personagem de Jonathan Pryce (o ex-Alto Pardal de Game of Thrones), Sir Stuart Strange, líder da Companhia que não mede esforços para tentar convencer Delaney e ainda precisa lidar com um Rei fanfarrão e que não liga para o governo. Outras duas pessoas que impressionam bastante na temporada são os personagens de Michael Kelly e Jessie Buckley: ele representando o único contato americano capaz de ajudar Delaney, Dumbarton, e ela a mais recente esposa do falecido pai de James, Lorna Bow, que não é nenhuma inocente precisando ser salva.

Das cenas de luta ao roteiro, Taboo é uma grande série e, apesar de ter apenas oito episódios em sua primeira temporada e já ter sido renovada para uma segunda após o seu episódio piloto, promete muito, principalmente após a finale surpreendente e cheia de promessas que, garanto, não irá decepcionar ninguém se conseguir manter o mesmo nível de escrita e afins deste primeiro ano. Logo, espero que gostem de Taboo tanto quanto eu e ficamos no aguardo desta nova jornada de James Delaney e os seus errantes amigos após os contratempos ocorridos na caótica Londres dos anos 1800.