Lucifer | 2×16 – God Johnson

Sabe quando você reza para que algo aconteça na série e de repente acontece? Pois é, essa foi a minha reação ao descobrir o plot principal desta semana de Lucifer e ainda fiquei sem acreditar durante o episódio inteiro que era sobre a presença de Deus na Terra. Pois é, crianças, o caso do dia é um assassinato num hospício onde o principal suspeito se diz ser Deus. E logo após temos a confirmação de que ele é o próprio encarnado na pele de um ex-milionário que resolveu doar todo seu dinheiro para ser um simples pregador da palavra.

Algumas pistas são soltas durante o episódio, como ele saber o real nome de Lucy sem nem mesmo ser apresentado ao filho, ele também não é passível aos poderes do nosso anjo caído e nem às drogas que lhe dão no hospício. Ele também tem poderes sobrenaturais, como curar alguém que está praticamente morto. É então que Morningstar também passa a crer que Johnson é seu pai, então ao perceber que ele ainda está apaixonado pela sua ex, Lucifer muda totalmente os planos e resolve se vingar na Lux mesmo.

Arrumando o local para criar um encontrar romântico entre Johnson e Charlotte, Lucifer realmente espera ver algum dos dois sofrer, mas o tiro sai pela culatra e os dois parecem se apaixonar novamente… Claro que tudo isso depois de uma pequena fuga do hospício no qual ele se internou voluntariamente após Decker deixar claro que não quer ele perto do suspeito e que o caso pode ser resolvido depois de uns dias de confirmação do DNA encontrado.

O bacana foi vermos através de Linda também que a relação entre Lucy e Deus pode até ser de ódio, mas ainda existe esperança para uma reconciliação dos dois. Ou não, já que no final do episódio Morningstar diz que agora odeia o pai mais do que antes. Explico: durante o episódio descobrimos que, na verdade, a responsável pelos assassinatos é uma filha ingrata que se mascarou de Papai Noel para matar a mãe e foi encontrando alguns percalços em seu caminho. Enlouquecer a mãe se passando por enfermeira, diga-se de passagem.

Quem também se envolveu com nosso elenco fixo foi o médico responsável pelo hospital, que se mostrou bastante interessado em Chloe. Ela que meio que o usou para descobrir a verdade sobre o caso e depois pediu desculpas – não que ainda importasse. Contudo, Maze teve razão ao dizer que a detetive tem que desandar um pouquinho mais na sua vida amorosa.

Eu realmente queria ver Deus encarnado na série, mas acredito que a única chance disso acontecer novamente é se Lucifer e Amenadiel descobrirem como usar a adaga de Azrael completamente, já que esse pedaço que faltava estava no cinto de Johnson o tempo todo e deu graças, deixando o pobre acreditar que era mesmo um ser celestial. Quem também ficou meio triste com tudo isso foi Charlotte, que procurou em Daniel um ombro amigo para chorar, literalmente, sobre não saber como lidar com seus sentimentos sobre o ex-marido. Mas ainda tenho esperanças de ver ou o céu, de fato, e  toda treta da família Morningstar ou a vinda de Deus à Terra para terminar com esses dramas familiares.