Lucifer | 2×18 – The Good, the Bad, and the Crispy

Quando a série é maravilhosa e te entrega um episódio excelente destes você realmente fica sem reação. E ainda estou assim por tudo que vem acontecendo nesta temporada de Lucifer. Senhoras e senhores, humanos, anjos ou demônios, vocês têm que concordar comigo que a série anda bem melhor do que muitas por aí. Dito isso, passemos ao plot principal que é a morte de Chad pela graça de Charlotte, que após matá-lo tenta se livrar do corpo contratando duas irmãs que trabalham com isso e são suas clientes.

Contudo, elas não conseguem destruir o corpo, que acaba sendo encontrado por ninguém menos que Decker e Daniel. Logo se instala o desespero dos nossos seres celestiais para esconder a verdade sobre o assassinato e mais uma DR na família Morningstar entra no enredo principal do episódio aqui. Porém, os nossos anjos não querem que sua mãe volte para o céu, já que se a mesma entrar em guerra com seu ex-marido muitos irão morrer (humanos e anjos). Após ser negada de ter a última peça para ativar a adaga flamejante, Charlotte tenta de todas as maneiras encontrar o pertence de Amenadiel. Para isso, ela ameaça matar Decker e Chad, já que agora virou uma bomba.

No meio tempo ainda tivemos o triste fato de Charlotte brigar com seus filhos, quase matar Linda e se despedir de Daniel como seu humano favorito. Assim como Maze, eu fiquei com bastante ódio da deusa por ter feito o que fez com a psicóloga, afinal Linda sempre só fez ajudar a todos e não merecia o que lhe aconteceu. A nossa sorte e a de Lucifer foi que Amenadiel conseguiu parar o tempo suficientemente para Maze levar Linda ao hospital e Lucy impedir sua mãe de machucar Chloe. Tudo se deu de uma maneira bem dramática e bem-feita, acredito até que este é um grande triunfo para série, que em grande parte é uma comédia investigativa.

Na praia, Lucy ativa a adaga flamejante, que passa a ser uma espada que corta através de tudo, inclusive do mundo, e ele abre uma brecha para o nada, convencendo sua mãe a seguir em frente e não realizar sua vingança contra Deus para evitar mais dor e sofrimento. Apesar de ainda estar irritada e decepcionada com tudo, Charlotte decide aceitar seu destino e ir de encontro ao nada para, talvez assim, criar luz em algum outro lugar.

Porém, algumas coisas ficaram no ar em relação a isso, como, por exemplo, a Charlotte humana ainda estar viva e não se lembrar de nada do que houve, Chloe ainda não entender como o caso terminou e fecha-lo, assumindo que o irmão de Chad foi responsável sobre tudo e quis incriminar a advogada da sua família, e quem matou a segunda irmã limpadora de corpos, já que Charlotte deusa confessou não ter nada a ver com isso. Afinal, vimos que a humana morreu, de fato, pelos poderes de um ser divino.

Ser este que sabemos estar entre nós por conta do cliffhanger seguinte: Lucifer é sequestrado após saber que Linda está bem. Porém, nosso anjo caído acorda num deserto todo queimado com suas asas de volta ao lugar de origem. Logo me perguntei se isso tudo não seria obra de Deus, afinal o deserto parece infinito e não gosto da ideia de que o céu é um lugar mega ensolarado onde podemos morrer de desidratação. Bem, só nos resta esperar o próximo episódio para ver o que aconteceu com Lucy e se Deus realmente está ligado diretamente a isso tudo.