Liar | O novo thriller psicológico dos criadores de “The Missing”

Liar, nova minissérie dos criadores de The Missing exibida pelo canal britânico ITV (o mesmo de Downton Abbey), tem como protagonistas Joanne Froggatt (também de Downton Abbey) e Ioan Gruffudd (o homem elástico, ou Senhor Fantástico, da versão de 2005 de Quarteto Fantástico, lembra dele?). Abordando um tema forte, o estupro, a produção de seis episódios desenvolve sua narrativa entre o drama policial e o thriller psicológico. O trailer desperta bastante interesse na história e o primeiro episódio cumpre as expectativas de prender o espectador na trama.

Froggatt interpreta Laura Neilson, uma professora que está passando por um divórcio recente. Por conselho da irmã, Katy (Zoë Tapper) ela aceita sair com Andrew (Gruffudd), um cirurgião respeitado que perdeu sua esposa após um suicídio. Eles passam a noite juntos, mas no dia seguinte surgem duas versões diferentes. Laura acorda com a certeza de que foi estuprada e Andrew com a versão de que nada aconteceu. Desta forma, o drama da protagonista se desenvolve em provar sua versão, mas enfrenta os obstáculos de não se lembrar do que aconteceu durante aquela noite.

A série toca aqui em um tema de muitíssima importância: a divergência no peso que nossa sociedade dá à palavra do homem e da mulher. Andrew é um homem elegante, gentil, bom pai e livre de qualquer suspeita, enquanto Laura sofre com transtornos mentais ainda não muito bem explorados neste primeiro episódio e precisa de medicamentos. Ela tem certeza absoluta de que foi estuprada, mas desde a polícia até pessoas do convívio dela tentam desqualificar de forma implícita sua versão. É interessante que a série introduz uma dupla de detetives, uma mulher e um homem, e a personagem feminina demonstra mais apoio, entretanto ainda gera desconfiança.

Acredito ser um desserviço para a sociedade uma série feita para deslegitimar a versão da mulher a respeito de um ato de violência como o estupro, portanto creio que serão seis episódios para provar que Laura está certa, mesmo que Andrew aparente ser inocente. Liar acerta ao mostrar pistas de que Andrew possa ter drogado Laura, ainda mais por ser médico e ter fácil acesso à diversas substâncias. Entretanto, suas subtramas são muito novelescas, como o fato de o ex-marido de Laura ter um caso secreto com sua irmã Katy.

Por ter apenas seis episódios, aí está uma aposta segura nesta Fall Season. Quem gosta de dramas britânicos encontra uma opção curta e bem produzida, com um roteiro eficiente em desenvolver sua narrativa e um bom elenco. O trabalho de Joanne Froggatt em Downton Abbey dispensa elogios e sua atuação em Liar parece que será igualmente excelente. Sua personagem tem muito a mostrar ainda. Fica a dica para quem procura um drama interessante nesta temporada que está começando.