Duas de Mim | Diretora e elenco falam sobre o filme em coletiva realizada em São Paulo

Nem sempre é bom conquistar tudo aquilo que queremos, quer um exemplo? O filme Duas de Mim comprova exatamente isso ao trazer à tona uma descontraída comédia protagonizada pela divertida atriz Thalita Carauta, popular por aparecer em alguns quadros do antigo Zorra Total, além de atuar em filmes como S.O.S. – Mulheres ao Mar.

Com estreia marcada para o dia 28 de setembro, a trama retrata a vida de uma mulher batalhadora que se desdobra durante o dia para sustentar o filho e o restante da desajuizada família. No entanto, toda essa realidade é alterada quando certo dia Suryellen esbarra em um carrinho de doces, sendo instigada a provar um excêntrico bolo dos desejos que concede apenas um pedido para quem o consumir. Sendo assim, a descrente mulher solicita se tornar duas para conseguir dar conta de uma exaustiva rotina, mas fica paralisada ao ser contemplada com uma duplicata que demonstra ser totalmente o inverso dela.

A fim de promover o longa, parte do elenco e a diretora Cininha de Paula se reuniram em uma coletiva de imprensa realizada em São Paulo, no último dia 13 de setembro, para conversar sobre o filme. Despojada, a estreante diretora iniciou o bate-papo falando sobre o desafio de assumir pela primeira vez o comando de um título para os cinemas:

Tudo que é desafiante para mim é interessante. Ter esse trabalho de me preparar para cada projeto como se fosse a primeira vez é o que mais gosto dentro da minha profissão. Então posso dizer que era um sonho antigo fazer cinema, mas sempre que me convidavam eu não estava disponível por me encontrar envolvida com o teatro ou com a televisão. Então preferi esperar e ter tempo de me dedicar exclusivamente a isso“, disse Cininha.

Em seguida, a diretora conversou um pouco mais sobre o projeto e expôs algumas motivações fundamentais. Inicialmente, ela queria se inspirar em todas as comédias latinas por admirar muito o trabalho de Pedro Almodóvar, mesmo dizendo que “não chega aos pés dele“. No entanto, Cininha ressaltou que quis retratar em Duas de Mim toda a latinidade que só Almodóvar consegue transmitir. “Meu objetivo é mostrar toda essa brasilidade explosiva e suburbana, até mesmo porque sempre fui apaixonada pela forte definição de família e de convívio do subúrbio. Aqui, meu conceito foi fazer um longa brasileiro, com a realidade do país e com a cara do Brasil, desmistificando a valorização hollywoodiana que nós fomos educados a ter“, explicou.

Sobre a proposta da trama, Cininha de Paula comentou que, apesar de o foco ser a comédia, o interessante é que o filme aborda o posicionamento da mulher dentro da própria vida:

Na verdade, quem não gostaria de ter duas de si, não é? Eu, por exemplo, adoraria ter quatro de mim, mas o legal aqui é mostrar justamente esses dois lados que vivem dentro de uma única mulher: um mais destemido e doido, e outro que representa a parte família. Quando li o roteiro pensei que aquilo era a história da minha vida, só que depois concluí que essa é a história de vida de todas as mulheres. Portanto, essa conotação sempre existiu carregada com o peso da cobrança que sociedade exerce sobre o sexo feminino“, ressaltou a diretora.

Aproveitando o gancho, a atriz protagonista Thalita Carauta se pronunciou e revelou seu posicionamento a respeito deste conceito dito. “Eu achei muito legal o fato de nós conseguirmos manter essa conotação e experiência no filme, mas o que me pegou pelo coração foi a personagem. Apesar da história ter um processo legal, fui tocada por essa possibilidade de interpretar duas mulheres tão distintas, algo que eu até então nunca tinha realizado profissionalmente. O interessante aqui é que nós sabemos que as duas são uma coisa só, a diferença é que a cópia dessa metade representa aquele grito que em algum momento iria se libertar, realçando a existência de um consciente coletivo“, disse Thalita.

Interpretando Sarelly, a atriz Letícia Lima comentou que ficou surpresa por ter sido convidada para personificar uma adolescente. “No filme eu retrato aquela clássica irmã acomodada, o tipo jovem que se encosta na família e que sempre depende dos outros para se apoiar, digamos assim. Só que quando eu recebi o papel, liguei para a Cininha e falei que não era possível ele ser para mim, pois Sarelly é uma menina muito jovem e eu tenho 32 anos. Depois que tive essa confirmação, foquei na caracterização dessa personalidade, pois a troca de figurino da direção foi fundamental para o meu auxílio“, disse a atriz. Letícia contou ainda que o uso do tênis fez toda a diferença para que ela conseguisse assumir o que o papel exigia.

Já o cantor Latino, que dá vida ao personagem Chicão, brincou com o fato de não ser ator, exprimindo por qual razão decidiu aparecer na telona:

Eu nunca tive a pretensão de atuar, mas quando esse convite chegou a mim através da Cininha, logo vi que aquilo tinha muita relação com o meu passado e comigo. Fazer um cozinheiro remete ao meu início nos Estados Unidos por eu já ter trabalhado dentro de uma cozinha. Quando li o roteiro, notei que o Chicão trazia essa essência de ser um cara que dança, que se diverte e que não tem vergonha de pagar mico, uma pessoa que não tem timidez de ser feliz. Essa aventura trouxe um pouco da minha história de moleque, de adolescente. Por isso não sei julgar se atuei bem ou não“, explicou Latino.

Para encerrar a coletiva, a diretora Cininha de Paula abordou a dificuldade de fazer cinema no Brasil. “Sou fã de muitos filmes nacionais, vejo muito mais filmes nativos do que alguém possa imaginar e não crítico, pois é muito difícil fazer cinema e produzir aqui. Sendo assim, eu admiro muito o trabalho do produtor e respeito muito o nosso cinema, porque mesmo com todas essas dificuldades que esse país nos fornece, nós conseguimos produzir“, finalizou.

Fotos: Felipe Mazzucatto/Agência Febre