PokéStop | #21 – Pokémon O Filme: Eu Escolho Você!

A clássica história de Ash e Pikachu, conhecida através do anime Pokémon, ganha uma nova versão que reconta o início da aventura desses dois personagens queridos de todo o público no novo filme Pokémon O Filme: Eu Escolho Você!.

Tudo no começo do longa remete ao que já tínhamos sido apresentados no anime. Ash quer ser um Mestre Pokémon, porém seu atraso para chegar ao laboratório do Professor Carvalho faz com que o garoto obtenha o seu Pikachu. No começo o Pokémon não é nada amigável com ele, mas depois de um ataque de Spearow esse laço de amizade se fortalece, fazendo com que a dupla seja conhecida até hoje. Só que tudo que se pode comparar com a história original, em contrapartida com o filme, para aí. O momento da mudança é quando Ash avista Ho-Oh e recebe uma pena arco-íris, diferente do anime, quando ele apenas o vê e nada mais acontece.

Claro que alguns elementos clássicos do anime aparecem, como os Pokémon Caterpie e Charmander, mas é tudo feito de forma diferente. É como se essa pena que Ash ganhou fosse o ponto de virada de toda a história. O interessante em acompanhar essa nova releitura é a agilidade com que as coisas são tratadas, tanto as evoluções quanto as capturas e até as batalhas, que mesmo rápidas são memoráveis.

Quem não conhece absolutamente nada do anime de Pokémon consegue assistir tranquilo esses 95 minutos, pois o longa apresenta tudo aquilo que é necessário para que o espectador tenha uma experiência completa do que será mostrado a seguir. Mesmo sendo uma nova história de um mesmo começo, ela agrada também ao público mais fiel que acompanha a saga há 20 anos. É uma série de referências, tanto do anime quanto dos jogos, e tem até mitologia de como algumas coisas em Pokémon surgiram (e elas são muitas). Como dito anteriormente, ainda que a animação reconte alguns fatos que já haviam acontecido, o público mais antigo consegue se empolgar totalmente com a história, pois não dá para saber aonde ela vai chegar.

Um dos pontos mais notáveis é que as estrelas entre os monstrinhos de bolso estão ali, principalmente Charizard e Pikachu, que têm suas histórias como as mais importantes do anime. Mesmo que esses Pokémon já tenham sido usados ao longo desses 20 anos diversas vezes para atrair novos e antigos fãs da franquia, eles sempre foram destaques e a história de ambos não fica maçante e/ou repetitiva. Na primeira fase do anime, para quem se lembra, eles tiveram sempre as trajetórias mais marcantes, e elas foram realmente bem feitas e recontadas durante o filme.

Os novos personagens, Vera e Sérgio, que nunca apareceram na franquia de Pokémon, são tão bem desenvolvidos e carismáticos como tudo o que engloba o filme. Ainda que a maioria do público quisesse ver Misty e Brock reaparecendo e sendo inclusos nesta nova versão, eles não fazem falta alguma para a história. Os dois novos personagens têm algo bem parecido com a dupla clássica do anime: Vera tem dois Pokémon e ambos são do tipo água; já Sérgio quer se tornar um Doutor Pokémon.

Além desses dois personagens, temos o antigo treinador do Charmander que o abandona por ser muito fraco, e Marshadow, o Pokémon do tipo Fantasma e Lutador que faz sua primeira aparição na franquia. Essa dupla, que age em contrapartida aos heróis, pode ser considerada vilã de todo esse arco. Eles também são bem desenvolvidos e, no final, tudo o que fazem tem um motivo real para isso. Eles não precisam ser considerados “vilões” só por serem maus, eles têm seus motivos. Quando tudo é descoberto, o público fica satisfeito pelo desenvolvimento realizado.

Mesmo com novos personagens, Ash é o que sempre se destacou e sempre vai se destacar. Ele passa pela vitória, pela derrota, pela influência de um “sentimento” ruim, pela superação e por diversos outros sentimentos que só engradecem o personagem em apenas 95 minutos. Não é só “do nada” que o protagonista descobre que a amizade com o Pokémon é importante para que tudo tenha seu trunfo, ele passa por um crescimento continuo durante toda a exibição do longa. É agradável de ver e, claro, a amizade dele com o Pikachu é algo ainda mais primoroso que no começo do anime. Até um momento especial entre os dois em um ponto alto do filme fica bonito e nada é forçado para que aquilo acontecesse.

Outro ponto forte de Pokémon O Filme: Eu Escolho Você! é a presença de diversos Pokémon de todas as regiões ao longo da história. Ela não se limita em apenas apresentar novamente os 151 da primeira geração, mas mostra um pouco de tudo para familiarizar o público a se acostumar com todo seu universo que já foi criado. E não poderia faltar a Equipe Rocket, que mais uma vez teve seu papel pouco importante, porém memorável e engraçado para quem sempre acompanha a equipe que, no fim, sempre decola de novo.

Pokémon O Filme: Eu Escolho Você! traz de volta o brilho no olhar do seu fã pela franquia que há anos já tinha se apagado. É uma releitura muito bem feita de como tudo aconteceu que pode atrair o público antigo a ver este filme e também o novo que nada conhece. Existe aqui a preocupação em como pode ser apresentado este universo tão imenso que muitos já conhecem, mas que já não empolgava tanto há algum tempo.

Para quem não conseguiu assistir ao filme durante os dois únicos dias de exibição aqui no Brasil, já foi confirmado que o longa passará no canal Cartoon Network no dia 8 de dezembro, às 20h, no Cine Cartoon. A animação também será reprisada no dia seguinte (9), às 12h.