Crítica | Um Perfil Para Dois

Um Perfil Para Dois é uma comédia romântica francesa sutil e agradável de se ver. Tem como tema central os complicados, porém saborosos, relacionamentos amorosos, mais especificamente originados no mundo virtual. De fato, é um tema já conhecido e muito abordado em filmes incríveis – como é o caso de Ela (2013). Com uma pegada mais descontraída, esta história é, a seu modo, igualmente agradável e divertida.

Alex (Yaniss Lespert) é um escritor desempregado que leva uma vida mais ou menos morando com sua namorada na casa dos pais da mesma. Como não consegue ganhar dinheiro com seu ofício, sua sogra praticamente o obriga a se tornar professor de “internet” de seu pai, Pierre (Pierre Richard), um senhor que não sai de casa desde que sua esposa morreu há dois anos. Alex aceita, mas a pedido da sogra não conta para Pierre que é o namorado de sua neta, pois o senhor era muito amigo do ex da jovem e acha que o novo relacionamento não irá durar muito.

Aos poucos Pierre vai se interessando pelo mundo virtual, passa a usar o computador quando Alex não está presente e em um desses momentos acaba por fazer um perfil em um site de relacionamentos. A foto que utiliza, no entanto, é a de Alex. Por isso, quando – depois de muito flerte – Pierre marca um encontro com uma bela jovem de Bruxelas, convence Alex a ir em seu lugar enquanto ele observa de longe. Pode parecer um pouco estranho, mas o roteiro light do filme encara tudo com muita naturalidade e um bocado de momentos cômicos, o deixa para trás a tensão normal que se sente nesses casos de “isso não vai dar certo”.

Como dito antes, o tema do filme não é novo e o enredo não inova muito, fazendo que o longa se mantenha mediano, embora fiel à sua proposta de entreter. Apesar disso, a atuação de todos os atores traz uma força maior ao filme, mesmo que as personagens femininas sejam um tanto apagadas, suas atrizes conseguem deixar sua marca, elevando um pouco a história e tornando-a ainda mais agradável de assistir. A química entre os atores principais é inegável, assim como a comicidade da situação – principalmente depois que passam a achar que a jovem de fato está tendo um caso com Pierre.

A fotografia não impressiona, todo o cenário é bem natural e se passa, na maior parte do tempo, em Paris, o lugar mais obviamente romântico que se possa imaginar, o que torna sua escolha um pouco clichê demais. Isso seria um grande problema se o filme, cujo enredo já é bem humilde, se propusesse a ser um drama sério, mas não é esse o caso. Um Perfil Para Dois é um longa que devemos assistir para nos divertirmos, para pensar que – talvez – relacionamentos possam dar certo mesmo e sair da sala de cinema mais leve ou, se você for mais romântico, vendo coraçõezinhos no ar.