How to Get Away with Murder | 4×08 – Live. Live. Live.

O início da quarta temporada de How to Get Away with Murder foi detalhista e cuidadoso. Depois das demissões, cada um tomou seu próprio rumo em busca de uma nova chance longe do furacão Annalise. Incluindo ela mesma. Além disso, ainda havia a lacuna deixada pela morte de Wes, que ainda estava sem um culpado convincente até agora. E Live. Live. Live. reuniu a primeira conclusão de tais acontecimentos em um episódio eletrizante do começo ao fim.

Estamos na aguardada festa de celebração no escritório da Caplan & Gold. Oliver está ao telefone recebendo a revelação de que Annalise sabe do plano do grupo de expor a abertura das ações da Antares. Saindo do elevador, ele encontra Laurel, Michaela e Asher ensanguentados e em choque. Alguém havia morrido.

Quando tentava apartar a briga de Connor e Frank um dia antes, Laurel é golpeada na barriga, o que justifica sua situação crítica ao final do episódio. Foi um detalhe sutil, mas bem colocado. Assim como o envolvimento de Simon no plot. Desde o episódio anterior, vimos que ele estava em risco. E como se não bastasse, Simon finalmente revelou sua paixonite por Oliver. Já estava demorando para ele assumir isso, cá pra nós.

Dados devidamente salvos no HD, todos reunidos, é claro que as coisas não iriam dar tão certo. Ollie achava que Annalise saber do caso fosse o pior, mas este ainda estava por vir. Em uma cena previsível e relativamente tosca, o episódio nos revela o grande acontecimento na C&G. Simon entra no oportuno momento no qual o grupo está conversando sobre os próximos passos do plano e acaba roubando a bolsa de Laurel, revelando a arma que a personagem manteve por perto ao longo da temporada. Continuísta, você fez um bom trabalho, mas, roteiristas, não precisávamos disso.

Uns “devolve a arma!” aqui e outros “você não precisa se meter nisso” ali, Simon dá o passo que seria seu tiro no pé. Ou na cabeça, mais precisamente. Oliver chega ao local do crime e agora o grupo precisa arrumar o cenário para que a situação coincida com suicídio. Nesse momento, Michaela mostra que, por mais que esteja lutando para não se parecer com Annalise, é inegável que ela possui a frieza da advogada para lidar com situações extremas como essa. Mais uma vez, a atuação de Aja Naomi King foi sensacional. Espero vê-la com essa posição de liderança mais vezes na próxima fase da série.

E como já vimos nos flashforwards dos episódios passados, quem está na berlinda como principal suspeito do caso é Asher. Ele encostou na arma ao tentar tirá-la como evidência e a cena em que o policial questiona a ele sobre o álibi deixa a entender que o discurso dele se contradiz com o de Michaela. Isso justificaria a prisão do estudante e provavelmente será um elo para a volta da relação de Annalise com o grupo mais pra frente.

Caminhando para o fim do episódio, somos apresentados ao plot paralelo no hotel onde Annalise está hospedada. A pedido da advogada, Laurel muda o percurso para encontrá-la em seu apartamento. Mas ainda antes de chegar ao andar de Annalise, o elevador para de funcionar e a aluna tem um forte sangramento. A cena foi extremamente claustrofóbica e a ambientação gerada pelos movimentos de câmera fizeram com que eu não conseguisse tirar os olhos da tela.

E se você estava se perguntando por onde andou Annalise ao longo de todo esse episódio, ela foi guardada para o final. A advogada apareceu em diversos momentos, como na cena em que Bonnie revela o seu amor por ela e durante uma visita a Isaac. Mas Viola Davis brilhou mesmo quando precisou acudir Laurel e seu bebê. No telefone com a socorrista, Annalise precisou fazer RCP na criança enquanto esperava a ambulância chegar.

A cena poderia justificar o que vimos alguns episódios atrás, quando a advogada estava jogada no chão coberta de sangue. Antes de sermos apresentados a este contexto, a cena me levou a acreditar que pudesse ter sido uma tentativa de suicídio. Mas com essa nova perspectiva, fica claro que, mais uma vez, HTGAWM brincou com sua audiência.

De um modo geral, a mid season foi lenta, mas precisa. Mas preciso comentar que vaso ruim não quebra mesmo, não é? Simon é baleado na cabeça, mas ainda consegue sobreviver a tempo de ser resgatado pela ambulância. E do jeito que as coisas são, não me surpreenderia se ele sobrevivesse só para se tornar mais um obstáculo para o grupo principal. Ainda mais vivendo em ShondaLand, onde temos 14 temporadas de Grey’s Anatomy resolvendo os casos mais absurdos e extremos da medicina, as chances de Simon ressurgir das cinzas são altas.

Com Live. Live. Live. os gritos de “minha série está viva” nunca foram tão propícios. Agora basta contar os dias para descobrirmos os primeiros passos dessa resolução. Muitos mistérios em aberto e muitas relações implorando por um maior desenvolvimento. A relação de Bonnie e Nate, o paradeiro do bebê de Laurel após o resgate, Connor sendo vigiado pelo capanga do Mr. Castillo e o estado de saúde de Simon marcarão o retorno de How to Get Away with Murder em Janeiro. Qual deles você está mais ansioso para descobrir? Comente abaixo!