Arrow | 6×12 – All for Nothing

A cada episódio a batalha contra Cayden James fica um pouco mais intensa, e em All for Nothing nós acompanhamos mais uma tentativa fracassada de fazer com que o vilão da temporada não continue tendo controle sobre a cidade. A diferença é que dessa vez as consequências foram maiores e a história acabou ficando mais interessante.

Acreditar em Vincent Sobel foi uma ideia horrível, tão ruim que soou como furo de roteiro depois de algumas experiências sofridas pelos ex-membros do Team Arrow, mas no final essa era a coisa certa a se fazer (não por ser uma boa escolha, mas sim porque no fim foi a certa). O fato de que o Vigilante não estava enganando a Dinah acabou sendo uma surpresa e a velocidade com a qual ele quis se mostrar útil foi mais surpreendente ainda. A morte do personagem, entretanto, acabou sendo o que mais chamou a atenção nessa série de eventos. Imaginar que justo o cara que se regenera seria a baixa do episódio com certeza não foi algo que muita gente fez, e isso é um ponto positivo para o roteiro. Dificilmente algum dos personagens centrais da série irá morrer nesta temporada, então matar um aliado é uma boa forma de causar impacto e fazer com que a ameaça de Cayden pareça ainda maior.

E no fim essa foi a única função da morte do Vigilante: ser impactante. Até mesmo os flashbacks desnecessários mostrando detalhes de sua última missão como policial foram colocados apenas para fazer o público ficar do lado dele e tornar sua cena final mais marcante. Usar a morte apenas para causar impacto é péssimo quando falamos de um personagem principal, como foi o caso da Laurel, mas se tratando de alguém tão menos relevante quanto o Vincent essa tática funciona muito bem. Os roteiristas tentaram, e conseguiram, humanizar o personagem, torná-lo mais agradável e fazer o público torcer por ele, apenas para matá-lo no final. Isso aumenta a vontade de ver o vilão perdendo e aumenta interesse pelos eventos que levarão a isso. Arrow precisa prender melhor seu público, e essa foi uma boa jogada.

E falando nos eventos que irão se desenrolar, a Dinah parece que terá um pouco mais de destaque no que se refere à caçada ao vilão da temporada. A personagem está passando por uma fase de mudança nas suas crenças, algo que já vimos o Oliver enfrentando aproximadamente 50 vezes, movida pela perda de alguém importante. Ou isso a levará a matar Cayden no final da história ou no mínimo a colocará em rota de colisão com a equipe do Oliver. Essa segunda possibilidade parece ser a mais interessante: se os roteiristas não querem que as equipes se unam novamente tão cedo, então qual o sentido em fazer com que trabalhem juntos? Colocar um grupo contra o outro ou pelo menos separá-los de forma mais direta pode ser mais interessante.

Saindo disso, o outro detalhe interessante é a tentativa de converter a Black Siren em uma heroína. É verdade que, olhando friamente, essa é uma ideia idiota e não tem como questionar isso. Mas também é verdade que depois desta temporada no centro dos holofotes como vilã, a Laurel da Terra 2 só tem um caminho digno na série: morrer. Depois de ser um dos principais inimigos, fazer com que ela volte a ser uma vilã para cobrir espaço em temporadas futuras seria uma péssima ideia e passaria longe do tratamento que a personagem e a atriz merecem. Ou a Black Siren morre ou ela sofre uma mudança drástica, e levando em conta o fato de que até hoje muitos fãs não superaram a morte da Laurel original, então a segunda opção não parece ser tão ruim do ponto de vista dos produtores. Se é isso o que vai acontecer, pelo menos fico feliz que quem está na jornada para mudá-la é o Quentin, uma vez que entre todas as opções possíveis essa é a que faz mais sentido.

All for Nothing foi um bom episódio porque além de funcionar bem sozinho, trazendo momentos impactantes e cenas boas, também conseguiu aumentar o interesse por aquilo que acontecerá nas próximas semanas. Mesmo que a passos lentos, os heróis estão cada vez mais próximos de uma solução para seus problemas e toda a tensão presente nesse caminho está ficando mais interessante.