RuPaul’s Drag Race | 9×02 – She Done Already Done Brought It On

Não é de hoje, depois de nove temporadas e mais dois All Stars, que aprendemos mais uma vez uma lição: nunca subestime as novinhas. E agora Valentina pode provar isso mais uma vez. É muito cedo para cantar qualquer drag que tenha a possibilidade de vencer este nono ano da Corrida das Drags, mas por enquanto Valentina se mostra a mais consistente entre todas. A gata está indo bem em todos os desafios (tipo três) até agora. Trinity, Nina, Eureka e mais algumas estão também se destacando, mas nenhuma brilha tanto quanto Valentina.

Se a gente parar para analisar, mesmo sendo o começo, nenhuma está indo mal na competição. Claro que sempre tem uma mais fraca, mesmo em dois episódios, mas de ser horrorosa e não conseguir cumprir o que é pedido, nenhuma está.

Nesta semana a primeira coisa a ser revelada é a volta de Cynthia Lee Fontaine para a competição. A queen que lançou a palavra “cucu” para o mundo e fala isso 753 vezes por segundo. Se na temporada oito, a que participou, ela já falava isso a todo momento, neste novo ano, que sua palavra já esta imortalizada junto às obras de Machado de Assis, ela não tem limites para que seja usada e inserida em qualquer situação mais vezes. É “cucu” toda hora até você não aguentar mais. (Alguém ainda aguenta isso?)

Por mais que eu não tenha gostado da volta de Miss Cucu para a competição, já que ela não foi chamada para competir de novo, ou por ter saído muito cedo ou por não ser uma queen com um potencial ainda não atingido, esse retorno ficou claro durante a conversa dela com as amigas de programa. Cynthia, ano retrasado, descobriu um câncer de fígado estágio um logo após sua eliminação da Drag Race. Fez o tratamento e hoje está curada. RuPaul aparentemente quis dar uma segunda chance para a drag latina. Ela teve uma segunda chance de viver, e agora ela tem uma segunda chance de competir. Se pararmos para pensar nisso, até que conseguimos aproveitar essa volta dela. Menos a parte de “cucu” a cada dez segundos.

Voltando à competição, esta semana não tivemos o “mini challenge“, que é algo sempre certo durante todo o processo de busca da nova Drag Queen Superstar. Mas em um episódio ou outro esse desafio é pulado quando temos algo maior durante a prova principal da semana.

Nesta semana, as nossas drags foram divididas em dois grupos: um liderado por Nina Bo’nina, por ter vencido o desafio da semana passada, e outro por Cynthia Lee Fontaine, por ter sido a “comeback queen“, para apresentarem uma performance de líderes de torcida. Como dito anteriormente, nenhuma foi ruim, todas foram muito bem e aparentemente deram tudo de si durante a performance. Mas em meio à tantas drags que fizeram um bom trabalho, uma ou outra entrega um pouco menos do que foi pedido. Mas, no geral, foi tudo muito bem feito.

O look da runway teve o tema “White Party Realness“. Mais uma vez, nenhuma foi ruim, todas foram muito bem com os looks apresentados, mas estamos aqui para analisar, né nom?

Shea estava num look belíssimo, todo cobrindo seu corpo, mas a peruca, mais uma vez, não combinava com tudo o que ela havia montado. Alexis, a diva da temporada, lindíssima, e parecia uma rainha durante toda a runway. Charlie parecia a vilã rainha do gelo, tirada direto dos livros de As Crônicas de Nárnia. Sasha esta bem ok. Nina cada vez me surpreende mais, por mais que tivesse muita informação no look (meia arrastão, bora, laço na cintura, colar, luva e uma pintura na testa), ela estava ahazando durante todo seu desfile, além de estar linda. Valentina mais uma vez se destaca e ninguém tirou o seu brilho. A drag latina é muito carismática, e aparecer como uma noiva a fez ser ainda mais fofa do que já é, fora que todo seu desfile foi feito com consistência do início ao fim. Kimora quer mostrar o corpo, novamente, e acaba caindo do cavalo, tendo a roupa mais fraca entre as 14 drags.

Aja estava muito bem, parecendo uma princesa mística (sim, cada hora invento um conceito, aprendam), mas essa maquiagem na boca dela ainda não consigo gostar. Jaymes estava toda trabalhada no look Marilyn Monroe e não acreditei que ela poderia fazer um tão bonito assim, já que se considera uma Comedy Queen (mesmo não tendo graça) e fazia graça de todos seus looks até então. Cynthia nunca havia parado para pensar que parecia a Audrey Hepburn, mas não é que parece? Farrah mostrou mais uma vez um lado showgirl que já vimos duas vezes em dois episódios… Já espero mais versões do mesmo look. Trinity, por mais diferente de todas, parecia que já tínhamos visto diversas vezes looks iguais, era como uma Chad Michaels mais nova. Peppermint e Eureka estavam ótimas também, porém nada que se destaque tanto, mas não eram nem de longe ruins.

Sem muitas surpresas, Valentina, Trinity e Shea foram o top 3 da noite, dando a vitória óbvia para Valentina. O bottom 2 ficou entre Kimora e Jaymes, que também não foi algo que não poderíamos esperar. O lipsync ficou por conta da música “Love Shack”, do B-52’s. Foi um bom começo, nada memorável, mas para uma primeira performance não foi de tão ruim. Kimora até usou alguns momentos para fazer uma graça, e não achava que ela poderia fazer algo do tipo, pois é aparentemente uma queen que gosta de aparecer mais bonita do que engraçada.

Então, Jaymes foi a primeira eliminada da temporada. Já era de se esperar a derrota da bonita. Finalmente Drag Race começou, e como diria Inês Brasil, bora fazendo que mais ainda está por vir. Nos vemos na próxima semana. Byeeeeeeeeeee!