Supergirl | 2×18 – Ace Reporter

Finalmente, depois de mais um hiato, Supergirl voltou. A série estava em um momento muito bom, no que se refere a seu enredo, e a pausa foi uma boa forma de mudar o ritmo no qual a história estava andando. E também existe o fato de que se esse episódio tivesse vindo logo após a primeira parte da história dos pais de Mon-El na Terra, a recepção do público seria ainda pior.

Ace Reporter não foi de forma alguma ruim, ele só teve o azar de ter que dar sequência a uma série de episódios muito boa. Outro agravante é o fato de que, no que diz respeito à vida da Kara como Supergirl, esse episódio foi um enorme filler. É verdade quem na sua vida humana ela conseguiu de volta seu emprego, mas como heroína ela apenas venceu mais um vilão que muito provavelmente nunca voltará a aparecer. Nesse ponto da trama, já tão perto do final, contar uma história com tão pouco de relevância para o enredo como um todo não é uma boa ideia.

E falando em ideias não tão boas, o que falar do plot envolvendo Jimmy, Winn e Lyra? Desinteressante e absolutamente irrelevante, essa foi uma tentativa (ruim) de mostrar outros relacionamentos que não envolvam de forma direta a personagem principal, e o resultado deixou muito a desejar. Jimmy, como já disse antes, é um personagem extremamente chato. Raríssimas vezes ele é escrito de forma a gerar algum interesse e acaba sendo apenas uma figura que existe na série sem nenhum sentido real, agora que deixou de ser um romance em potencial para a Kara.

Já Snapper Carr, diferente do seu chefe, conseguiu cumprir bem seu papel e gerar entretenimento. Suas ofensas ao novo “emprego” de sua antiga repórter foram realmente divertidas, especialmente porque ela não sabia como responder, mas foi sua interação final com ela que marcou. Desde que Cat saiu da série faltava alguém na vida comum da Kara que, de fato, interagisse bem com a personagem. E por mais que a dona da CatCo seja insubstituível, Snapper aparece como um personagem com potencial para divertir o público e para protagonizar algumas cenas interessantes no ambiente de trabalho da Garota de Aço.

No geral, esse foi um bom episódio que serviu para desenvolver a história de Kara Danvers, mas infelizmente seu alter ego, Supergirl, acabou ficando meio de lado. O tempo de tela menor não incomoda, é preciso desenvolver os dois lados da vida da personagem, mas o fato de que a história não contribuiu muito para o enredo central tão perto do final da temporada é um pouco problemático.