Cine PE | Festival é suspenso após cineastas retirarem seus filmes

Segundo nota divulgada nesta quinta-feira (11) pela Assessoria de Imprensa do Cine PE – Festival de Cinema de Pernambuco, que ocorreria entre os dias 23 e 29 de maio, o evento foi suspenso após alguns cineastas retirarem seus filmes da mostra a poucos dias do início do festival. A diretora Sandra Bertini divulgou uma carta alegando que, devido a esse imprevisto, não seria possível montar o festival a tempo, e por este motivo seria cancelado.

No documento, Bertini nega as acusações de que a programação teria sido estruturada para atender e favorecer o atual governo de Michel Temer. Um agravante da situação seria o fato de o cônjuge da diretora ter sido secretário do Audiovisual no início do governo de Temer, logo após o impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff. Desta forma, especula-se que muitos cineastas, ao desconfiarem do viés político do evento, teriam retirado suas obras da mostra.

Confira na íntegra a nota oficial divulgada:

A Direção do Cine PE, em função das manifestações contrárias à programação do evento, que proporcionaram a retirada de alguns dos filmes selecionados, dirige-se ao público em geral, para esclarecer os pontos e comunicar as seguintes decisões:

1. Que ao longo de 20 anos de realizações, que tornaram o Festival uma das referências nacionais do setor, todas suas programações, indistintamente, foram pautadas pelo respeito aos valores básicos da liberdade, quais sejam o direito de expressão, o respeito à pluralidade e o combate ao instrumento da censura;

2. Que, por isso mesmo, jamais houve quaisquer formas de politização das programações, pois com uma simples pesquisa sobre as edições passadas, facilmente será revelado que o Festival sempre se pautou em mostrar tendências, linguagens, estéticas e ideologias da forma mais coerente possível, por entender e evidenciar que o conceito da diversidade dever ser de todos e para todos;

3. Que apesar dessas manifestações se colocarem em tempo impróprio da pré-produção do evento, posto que a surpresa por essa represália, evidentemente, proporcionou um ônus fora do planejamento, torna-se cabível, pelo verdadeiro princípio democrático, respeitar-se as decisões tomadas;

4. Que essa situação implica na substituição dos títulos por outros que também fizeram suas inscrições de modo espontâneo, que estejam em ordem classificatória da Curadoria e que ainda se revelem dispostos a entenderem os valores que são a essência de quem faz arte e cultura – a liberdade de produzir e o sentimento de consideração pelas obras realizadas, na maioria das vezes, com enormes esforços;

5. Que essa adequação da situação à nova grade de programação, por razões técnicas e burocráticas, demanda por um tempo superior ao prazo do período de realização agendado, de tal modo que, pelo dever da prudência que sempre inspirou o Festival, será necessária postergar a execução do evento, cuja nova data será divulgada oportunamente;

6. Que, por fim, destacamos e enaltecemos o papel da Curadoria, a quem foi confiada a árdua missão do processo seletivo dos filmes, justo por ela reconhecer a importância do respeito à pluralidade, desde a criação à difusão, enquanto princípio basilar a ser perseguido, irrevogável e indistintamente, quaisquer que sejam os produtos artístico-culturais.

Recife, 11 de maio de 2017.

Sandra Maria Ramos Bertini Bandeira
Diretora do Cine PE